Em sua quinta Olimpíada, Hoyama não pensa em aposentadoria

'Enquanto sentir que tenho condições de treinar firme e forte, não vou parar', afirma o mesa-tenista de 39 anos

André Rigue, estadao.com.br,

28 de julho de 2008 | 09h18

Em sua quinta Olimpíada, o mesa-tenista brasileiro Hugo Hoyama, de 39 anos, não pensa em aposentadoria. Nos Jogos Olímpicos de Pequim, ele competirá apenas no torneio de equipes, ao lado de Thiago Monteiro e Gustavo Tsuboi. "Eu ainda pretendo jogar por um bom tempo", conta Hoyama ao estadao.com.br. "Enquanto sentir que tenho condições de treinar firme e forte, não vou parar. Em Pequim, quero passar a minha experiência para os companheiros da seleção." Para participar dos Jogos, Hoyama teve de ser indicado pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) para ser o terceiro integrante da equipe brasileira. "Nunca passou pela minha cabeça ficar fora de Pequim. Sempre estive confiante na vaga." Recordista brasileira de medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos (nove), Hoyama tem como principal marca em Olimpíadas o nono lugar dos Jogos de Atlanta, em 1996, quando conquistou uma vitória sobre o campeão mundial Jorgen Persson, da Suécia. Em Pequim, Hoyama espera classificar a equipe brasileira para a fase mata-mata. "Não será fácil. Teremos quatro grupos com quatro países, onde somente os dois melhores de cada chave avançam. Não vamos com a cabeça fixa em metas. Queremos jogar o nosso melhor." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.