Entidade pede ação de patrocinadores dos Jogos de Pequim

Human Rights Watch não quer que empresas como a G&E e Coca-Cola esqueçam de suas 'responsabilidades'

EFE

17 de abril de 2008 | 15h08

A organização Human Rights Watch (HRW) pediu nesta quinta-feira aos principais patrocinadores dos Jogos Olímpicos de Pequim que, para evitar danos à imagem das empresas, cumpram com sua responsabilidade de denunciar a violação de direitos humanos na China.Um comunicado da organização afirma que os acionistas e consumidores "não deixarão que as empresas fujam de suas responsabilidades"."Seu silêncio perante os abusos que foram cometidos nos meses anteriores aos Jogos de Pequim transformam suas declarações a favor dos direitos humanos em uma mentira", avaliou Arvind Ganesan, diretora do programa de responsabilidade corporativa da HRW.A organização disse que os principais patrocinadores permaneceram em silêncio, apesar de alguns, como Coca-Cola e General Electric, terem assinado compromissos de respeito aos princípios dos direitos humanos.A HRW afirmou que a empresa americana General Electric tem uma responsabilidade particular no caso por ser a dona da rede de televisão NBC, dona dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos nos Estados Unidos.Os patrocinadores e os direitos de transmissão representam 97 % da renda do Comitê Olímpico Internacional (COI) e nos últimos três anos colaboraram com cerca de 866 milhões de dólares, segundo a HRW. "Estas companhias literalmente sustentam os Jogos, por isso não podem negar a responsabilidade em relação aos abusos aos direitos humanos", disse Ganesan.HRW exigiu que os patrocinadores comerciais façam com que o Governo chinês respeite os compromissos que assumiu quando Pequim foi escolhida como sede dos Jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.