'Entre Nós' recebe o medalhista olímpico Arthur Nory

Ginasta conversou com Eduardo Moreira sobre a carreira, o bronze olímpico e os desafios da ginástica

O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2016 | 17h11

O ginasta Arthur Nory foi medalhista de bronze na prova de solo nos Jogos Olímpicos do Rio. Aos 23 anos, o atleta foi um dos destaques da seleção brasileira de ginástica artística, ao lado do colega Diego Hypólito, que ficou com a prata no mesmo aparelho.

Antes de se tornar ginasta, Nory passou pelo judô, mas trocou de esporte depois de ver os treinos de ginástica que eram realizados na mesma academia em que lutava. Durante algum tempo, ele conseguiu conciliar os dois esportes, até que decidiu se concentrar em ser um atleta de alto rendimento na ginástica.

Esta semana, Nory conversou com o colunista Eduardo Moreira sobre as Olimpíadas e os desafios da carreira de ginasta. “O que eu mais aprendi foi a acreditar nos sonhos”, disse.

O PROGRAMA

Empresário de finanças e autor do best seller Encantadores de Vidas, o colunista Eduardo Moreira teve a ideia de fazer o 'Entre Nós' em conversas informais com amigos do mesmo setor. O gestor afirma que seu principal desafio é fazer entrevistas com um viés diferente do jornalismo convencional. "Conseguir fazer com que o entrevistado possa seguir uma linha fluida e dar coisas interessantes para quem está assistindo a entrevista é o grande desafio. A coisa que eu mais tenho aprendido, e quem me falou foi a Leda Nagle (jornalista da TV Brasil), é que o segredo de toda entrevista é ouvir o entrevistado, porque quando você faz isso, uma resposta te puxa para outra pergunta."

Curto e interativo, a ideia do 'Entre Nós' é fazer com que todas as pessoas se identifiquem e busquem resultados melhores para as suas vidas. "Uma das principais motivações que eu tive é mostrar para as pessoas que por trás dos nomes mais ricos do País, existe uma pessoa como a gente, que tem seus medos, anseios, sonhos, já teve seus fracassos, suas frustrações, e também teve vários sucessos. Quando você humaniza essas pessoas, faz com que as outras  achem que também podem chegar lá", disse Moreira

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.