Envolvidos com terrorismo pedem credenciais para os Jogos do Rio

Órgão do governo Federal pede ao Comitê que não credencie 11 mil pessoas

O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2016 | 10h50

O Brasil negou credenciais dos Jogos Olímpicos para pessoas suspeitas com o terrorismo. A informação é do Centro Integrado Antiterrorismo (Ciant) do País, órgão que faz o acompanhamento dos pedidos de credenciamento da Olimpíada do Rio. Quarenta pessoas que queriam vir ao Rio de Janeiro tinham seus nomes envolvidos de alguma forma com grupos internacionais. Quatro deles tinham, de acordo com informação do Fantático, da Rede Globo, ligação direta com o terrorismo. Nenhum deles conseguiu obter as credencias e todos estão sendo monitorados pelos serviços de inteligência. Os nomes dos suspeitos e suas nacionalidades não foram revelados. Há ainda 61 brasileiros com mandados de prisão por diferentes crimes nesta lista. Eles também não foram credenciados.

De acordo com a reportagem, o Ciant pediu ao Comitê Olímpico que negasse 11 mil credenciais a pessoas consideradas suspeitas e de alto risco. A preocupação com possíveis atentados durantes os Jogos do Rio ganhou contornos mais alarmantes depois do atentado terrorista ocorrido em Nice, na França, com a morte de 80 pessoas. O Estado Islâmico reivindicou a ação.

Todos os hotéis no Rio onde haverá ao menos um membro da chamada 'Família Olímpica' estão sendo monitorados. O Brasil conta com o auxílio da expertise de outros países envolvidos no combate ao terror, como Estados Unidos, Espanha e França, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.