MARCIO FERNANDES/ESTADAO
MARCIO FERNANDES/ESTADAO

Brasil testa força da vela na Baía de Guanabara

Equipe do País mescla velejadores experientes e novatas

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2015 | 17h00

O Brasil está entrando com o que tem de melhor no evento-teste de vela, que começou neste sábado, na Baía de Guanabara. Com um grupo de atletas premiados, como o bicampeão olímpico Robert Scheidt, e de promessas, como Fernanda Decnop, a delegação brasileira espera fazer valer sua força velejando em casa.

Com 42 anos, Scheidt vai ter de superar uma cirurgia que fez recentemente no joelho esquerdo. “É uma temporada de altos e baixos, sem tantos picos de desempenho como eu desejaria”, admitiu o velejador. “Mas eu me sinto ainda muito motivado para escalar essa montanha mais uma vez. Quero reagir no evento-teste. Ir bem na competição seria bem importante neste momento.”

Scheidt garantiu recentemente sua vaga para os Jogos de 2016, em busca de um novo título, agora em casa. “Vai ser uma honra e uma grande oportunidade disputar os Jogos no Rio, diante da família, dos amigos e da torcida brasileira.”

Fernanda Decnop, por sua vez, vai estrear em Olimpíada em 2016. A atleta de 28 anos, porém, minimiza a vantagem de velejar no Rio. “Apesar de estar competindo em casa, as raias aqui são bem complicadas, com muita variação de corrente e vento. Alguma vantagem a equipe brasileira pode ter, mas os times estrangeiros têm equipamentos suficientes para conhecer bem as raias. Para todos, será bem difícil.” 

As seis raias que estão sendo utilizadas no evento-teste são as mesmas da Olimpíada. Isso atraiu as potências mundiais. “É uma simulação da Olimpíada, com disputa na raia olímpica. E teremos aqui a maioria dos nossos adversários dos Jogos, embora alguns países ainda não tenham realizado as seletivas. Mas vai servir para medir bem o nível”, observou Patricia Freitas, que já disputou duas olimpíadas (2008 e 2012). 

Além de Scheidt, Fernanda Decnop e Patrícia, o Brasil vai contar com os também classificados Ricardo Winicki, o Bimba (tetracampeão pan-americano), as atuais campeãs mundiais, Martine Grael e Kahena Kunze, Jorge Zarif, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan. A competição seguirá até o dia 22. Ao todo, participam 344 atletas, de 55 países.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio 2016, Vela, Robert Scheidt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.