AFP
AFP

Estados Unidos devem concentrar medalhas no atletismo do Rio-2016

Norte-americanos vem com a equipe mais forte ao Rio

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2016 | 05h00

“Regras são regras. Não me preocupo com quem ignorou isso, meu foco está na minha atuação.” A reação da velocista Allyson Felix reflete o estado de humor da equipe de atletismo dos EUA diante da punição imposta à delegação russa por uso de doping – com isso, as chances de medalha para os americanos aumentam no Rio-2016.

Ouro nos 200 m e nos revezamentos 4 x 100 m e 4 x 400m em Londres 2012, Allyson é uma das grandes esperanças para que os Estados Unidos alcancem, de forma inédita, mais pódios em provas femininas que masculinas.

Com 126 atletas, a equipe americana terá a participação de cinco medalhistas de ouro e cinco detentores de recorde olímpico. Recuperando-se de uma contusão, que a impediu de se classificar para a disputa dos 200 m, Allyson Felix pretende, além dos revezamentos, disputar os 400 m, prova na qual cravou a melhor marca do ano. “Já me sinto melhor agora que passamos seletivas”, disse.

Já Devon Allen terá um caminho mais aberto para a medalha dos 110 m com barreira com a ausência do russo Sergey Shubenkov, atual campeão mundial. “Sempre quero disputar contra os melhores”, comentou. “Como o atual campeão é russo, é decepcionante sua ausência, mas, não faço as regras, só me preocupo em competir.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.