Divulgação
Divulgação

Estados Unidos dominaram de 1984 a 1988

Karch Kiraly foi o grande nome de uma geração

O Estado de S.Paulo

31 de março de 2016 | 07h00

Os Estados Unidos prepararam uma delegação qualificada para a disputa dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Os atletas norte-americanos tinham a obrigação de obter grandes resultados, afinal os Jogos sofriam o boicote dos países do bloco socialista, liderado pela União Soviética.

Com o vôlei não foi diferente. O time masculino, que jamais havia subido no pódio olímpico, conquistou a medalha de ouro e iniciou uma supremacia na modalidade.

O líder da equipe era Charles Frederick Kiraly, mais conhecido por Karch Kiraly. Versátil, rápido, técnico, forte, foi eleito duas vezes o melhor jogador domundo (1986 e 1988), e em 2000 foi apontado como o melhor jogador de vôlei do século 20 pela Federação Internacional de Vôlei.

Kiraly liderou um time que tinha Dusty Dvorak, Dave Saunders, Steve Salmons, Paul Sunderland, Rich Duwelius, Steve Timmons, Craig Buck, Marc Waldie, Chris Marlowe, Aldis Berzins e Pat Powers.

A seleção brasileira chegou a assustar os norte-americanos na primeira fase dos Jogos de 1984, ao vencer os anfitriões por incríveis 3 a 0 (15-10 15-11 e 15-2). Mas na decisão, os EUA apresentaram um vôlei espetacular e massacraram a geração de prata do Brasil também por 3 a 0 (15-6 15-6 15-7).

Kiraly e Cia. mostraram nos anos seguintes que não se tratavam de uma equipe descartável e que foram formados para marcar época na história do vôlei. Os americanos foram campeões da Copa do Mundo (1985), do Campeonato Mundial (1986), dos Jogos Pan-Americanos (1987) e da Olimpíada de Seul (1988).

Depois do sucesso na quadra, Kiraly transferiu seu talento para as praias, onde conquistou também a medalha de ouro na Olimpíada de Atlanta-1996. Por seis vezes (1990, 1992, 1993, 1994, 1995, 1998) foi considerado o melhor jogador de praia. 

Kiraky também teve sucesso no vôlei europeu, ao atuar pelo Messagero, da Itália, equipe na qual foi campeão mundial de clubes. Atualmente é técnico da seleção feminina dos Estados Unidos, dá palestras e escreve livros sobre tática de vôlei.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaVôlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.