Este time amarela sim, mas é 'amarelo-ouro', diz Zé Roberto

Técnico comemora redenção da seleção feminina, que sucumbiu na semifinal dos Jogos de Atenas-2004

Redação,

23 de agosto de 2008 | 12h55

Depois de ajoelhar-se e agradecer pela conquista do ouro inédito do vôlei feminino, o Zé Roberto desabafou: "Este time amarela sim, mas é 'amarelo-ouro'."Veja também:A campanha brasileira na Olimpíada de Pequim Vôlei feminino do Brasil é medalha de ouro em PequimTido com um dos responsáveis pela queda nas semifinais da Olimpíada de Atenas-2004, o técnico disse que o trabalho foi árduo para, enfim, conquistar a medalha de ouro. "Foi um trabalho de quatro anos muito difícil, onde o recomeço foi complicado devido a fragilidade pós Atenas. Mas graças a minha família eu soube suportar este momento difícil. Eu acho que fui coroado com este trabalho maravilhoso, solidificado. Estou muito feliz, acho que elas estão de parabéns."Emocionado, Zé Roberto tratou de deixar claro que todas as jogadoras merecem a conquista. "Vitória foi maravilhosa, era um grande desafio para as meninas, que batalharam muito por este momento. Este grupo perdeu 15 ou 16 partidas nos últimos quatro anos, e elas merecem elogios. O time foi amadurecendo, e precisava deste tempo [entre Atenas e Pequim]. A hora vai chegar, eu dizia, a bola vai cair, e hoje aconteceu."Após a derrota para a Rússia na semifinal dos Jogos Olímpicos de Atenas, Zé Roberto chegou a cogitar sua saída da seleção, mas o presidente da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Ary Graça, manteve o técnico e a decisão surtiu efeitos. No ano dos Jogos de Pequim, a seleção venceu o Grand Prix e entrou na principal competição de sua história como a número 1 do ranking da FIVB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.