Loic Venance / AFP
Loic Venance / AFP

Evandro e Bruno Schmidt derrotam poloneses e continuam invictos no vôlei de praia em Tóquio

Dupla brasileira passa por Bryl e Fijalek por 2 sets a 1 e está classificada às oitavas de final na primeira colocação do Grupo E

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2021 | 11h46

A dupla do Brasil formada por Evandro e Bruno Schmidt assegurou a terceira vitória nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e continua com 100% de aproveitamento. Nesta sexta-feira, os brasileiros bateram os poloneses Bryl e Fijalek por 2 sets a 1, de virada - com parciais de 19/21, 21/14 e 17/15 -, e estão classificados às oitavas de final na primeira colocação do Grupo E.

Nos dois primeiros jogos, Evandro e Bruno Schmidt já haviam vencido os primos Grimalt, do Chile, e depois Abicha/Elgraoui, do Marrocos. Após este terceiro resultado positivo, o campeão olímpico Bruno comentou sobre o bom desempenho e um fator que pode ter sido decisivo para a trajetória de sucesso nesta primeira fase da Olimpíada.

"É obvio que todos queremos ganhar e terminar a fase de grupos em primeiro, mas é importante passar por dificuldade, colocar o time a prova e tivemos isso já no primeiro jogo. Tenho certeza de que ter virado o tie break foi reflexo disso", disse Bruno Schmidt, que ainda comentou sobre o desempenho da equipe.

“Jogos Olímpicos têm isso. Começa forte, desacelera, tem um momento de descanso e volta para decidir a chave. Hoje foi muito bacana porque nós dois estávamos o tempo todo positivos e o Evandro soltando cada vez mais o jogo dele, o que é muito importante para a dupla", avaliou.

Evandro também comentou sobre o jogo desta sexta-feira e destacou a cobrança positiva feita pelo seu parceiro. "Esse resultado é fruto de trabalho. Estamos treinamento bastante e recebo essa cobrança do Bruno para cada vez ajudar mais o nosso time, principalmente no bloqueio. E estou disposto a escutar para melhorar."

O jogador, dono de um dos melhores saques do mundo, elogiou o desempenho da dupla. "Nós tivemos dois erros no finalzinho do primeiro set, onde a Polônia conseguiu virar e ganhar. No segundo, conseguimos impor nosso ritmo e dar a cara do time. No terceiro, o mental falou mais alto no fim do jogo. Nosso psicológico está muito bem, conversamos demais dentro de quadra e conseguimos sair com a vitória”, disse Evandro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.