Falta de vento adia regatas das classes Star e Tornado

Na classe Star está a maior esperança de medalha do Brasil, com a dupla Robert Scheidt e Bruno Prada

Agência Estado,

19 de agosto de 2008 | 06h48

A falta de ventos fortes em Qingdao voltou a atrapalhar as competições de vela na Olimpíada de Pequim. Nesta terça-feira, foram realizadas apenas quatro das oito regatas previstas. Assim, somente os barcos das classes RS:X (masculina e feminina), Laser e Laser Radial puderam competir, enquanto as classes Star e Tornado foram adiadas.Veja também: Bimba vai à 'Medal Race' fora da briga por medalha em PequimA campanha brasileira na Olimpíada de PequimNesta terça-feira, estavam previstas duas regatas na Star e outras duas na Tornado. Todas passaram para o dia seguinte. Assim, se o vento deixar, essas duas classes terão três regatas na quarta, quando ambas definirão os finalistas para a 'Medal Race' (regata da medalha), marcada para quinta.Na Tornado, não há nenhum representante brasileiro. Mas na Star a vela do Brasil tem sua maior esperança de medalha na Olimpíada de Pequim, com a dupla Robert Scheidt e Bruno Prada. Até agora, eles ocupam o 8º lugar na classificação geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.