AP
AP

'Faltou lucidez', diz Bernardinho sobre derrota para os EUA

O time americano ganhou a partida por três sets a um na madrugada desta sexta-feira, com parciais de 20-25, 23-25, 25-20 e 20-25

Antonio Pita, O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2016 | 01h58

RIO - Após a primeira derrota na Olimpíada, o técnico Bernardinho indicou que faltou lucidez ao time brasileiro de vôlei para criar jogadas e fugir da marcação da defesa adversária. O técnico elogiou o desempenho dos jogadores, mas destacou a superioridade dos Estados Unidos, que dependia da vitória para continuar na disputa por uma vaga na próxima fase.

“Tivemos uma pressão que a gente não teve ainda na competição e não tivemos a lucidez necessária”, disse o técnico após a partida. “A pressão que nós sofremos no saque talvez tenha gerado a ansiedade de querer de qualquer maneira decidir e não é assim que se joga em um jogo pesado dessa maneira. Tem que trabalhar a bola e criar condições para minar o bloqueio, criar espaços”, completou.

O time americano ganhou a partida por três sets a um na madrugada desta sexta-feira, com parciais de 20-25, 23-25, 25-20 e 20-25. Com o resultado, a seleção caiu para a terceira posição no grupo, atrás da França, que também perdeu uma partida, mas tem melhor saldo de sets. Próximo adversário brasileiro, no sábado, a Itália lidera o grupo.

Para Bernardinho, a seleção agora tem foco total em vencer a Itália, no próximo sábado, para continuar competitivo na disputa. O técnico ressaltou que a equipe italiana tem um estilo de jogo semelhante ao americano, com forte pressão de saque e ainda melhor qualidade de bloqueio.

“Temos que aprender com esse jogo para melhorar contra a Itália e tentar sobreviver neste grupo. Temos que saber jogar nesse tipo de situação, criar situações com lucidez para jogar a bola, por que essa é a situação que vamos enfrentar nos próximos jogos”, completou.

O técnico também minimizou “impactos” da primeira derrota sobre o time, que retorna à quadra já neste sábado. A previsão do técnico é reforçar a defesa no treino de amanhã, para evitar uma fadiga dos jogadores. Ele sinalizou ainda que o central Maurício, que se recupera de lesão na coxa direita, já pode voltar à equipe na próxima partida para reforçar o bloqueio.

“Um time que tem pretensões de ganhar um campeonato como esse tem que ter condições de fazer isso (superar a derrota). É uma chave de equilíbrio, perde e ganha. Se não tivermos essa capacidade, não estávamos prontos e eu não os preparei da forma correta para estarmos aqui”, disse.  

O capitão do time brasileiro, Bruninho, avaliou que os americanos souberam impor um saque “agressivo”, além de ter convertido boas defesas em contra ataques. “Eles jogaram melhor. Não temos tempo para chorar”, disse.

Mais conteúdo sobre:
Brasil Voleibol Olimpia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.