Federação alemã defende clubes em polêmica sobre Pequim

Entidade diz que equipes do país não são obrigadas a ceder seus jogadores para a disputa das Olimpíadas

EFE,

23 de julho de 2008 | 15h52

A Federação Alemã de Futebol se manifestou a favor dos clubes na polêmica envolvendo a liberação de jogadores sub-23 para os Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto.Veja também: Blatter diz que veto a atletas é um atentado ao espírito olímpicoA entidade e a Liga Alemã de Futebol lembraram que a Fifa não obriga a cessão de atletas a esta competição e aconselhou às equipes que se sentirem prejudicadas que recorram ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em francês)."Aconselhamos aos clubes que não tiverem seus pedidos atendidos pelas seleções ou por uma comissão da Fifa, que recorram diretamente ao TAS", disse o comunicado divulgado pelas entidades.A nota foi uma resposta à declaração do suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, que disse que os clubes são obrigados a ceder os jogadores menores de 23 anos. Segundo o dirigente, quem não liberasse os atletas estaria cometendo "um atentado contra o espírito olímpico".Werder Bremen e Schalke, equipes que contam com os brasileiros Diego e Rafinha, respectivamente, anunciaram que recorrerão ao TAS. Os dois jogadores ignoraram os pedidos de suas diretorias e se apresentaram à seleção brasileira olímpica no início desta semana.A posição dos times alemães é apoiada pela Associação dos Clubes Europeus, que também disse estar ao lado do Barcelona (Espanha), que reluta em liberar o meia-atacante argentino Lionel Messi para os Jogos.A duas semanas do início da competição na China, muitos clubes vem criando dificuldades para a liberação de atletas, pois se encontram em plena pré-temporada. Além disso, o evento em Pequim coincidirá com a disputa da fase prévia da Liga dos Campeões da Europa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.