Satiro Sodré/SSPress
Satiro Sodré/SSPress

Felipe França avança à final dos 200 m peito no Mundial em Doha

Brasileiro faz o sexto melhor tempo das semifinais, com 2min04s63, e estará na briga por sua quarta medalha de ouro na competição

Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2014 | 09h21

Depois de conquistar três medalhas de ouro na quinta-feira, Felipe França voltou à piscina curta do Mundial de Doha, no Catar, na manhã desta sexta para buscar a vaga na final dos 200 metros peito. O brasileiro fez o sexto melhor tempo das semifinais, com 2min04s63. Já Thiago Simon foi apenas o 11.º, com 2min06s42, e ficou fora da briga por medalhas. O mais veloz das eliminatórias foi o húngaro Daniel Gyurta, com 2min03s64.

A final da prova será nesta tarde (noite em Doha), a partir das 13 horas. França, que não está acostumado a nadar distâncias mais longas, terá a chance de faturar sua quarta medalha neste Mundial. Na quinta, ele foi o campeão nos 100 metros peito e participou das conquistas do ouro nos revezamentos 4x50 metros medley masculino e 4x50 metros medley misto.

"Eu senti o desgaste de ontem (quinta), mas o objetivo pessoal era pegar uma final porque nadar os 50 metros e chegar à final dos 200 m vai me ajudar mais para a frente. A medalha é lucro agora se vier. Medalha de 200 m peito para mim será inesperado", declarou o nadador, em entrevista ao canal Sportv.

A equipe brasileira avançou nas eliminatórias de outras quatro provas na manhã desta sexta. Além de França, Henrique Rodrigues disputará final nesta tarde. Ele avançou nos 200 metros medley, com o quarto melhor tempo das semifinais: 1min53s49. Na briga pela medalha, seu maior rival será o norte-americano Ryan Lochte, o mais veloz das eliminatórias, com 1min52s92.

Guilherme Guido e Henrique Martins foram às semifinais dos 50 metros costas. Guido registrou o oitavo tempo, com 23s55, enquanto Martins obteve a 16ª e última vaga, com 23s90. O favorito à medalha de ouro é o francês Florent Manaudou, rival de Cesar Cielo nos 50m livre. Ele foi o mais rápido das eliminatórias, com 23s24.

Nos 50 m borboleta, o Brasil terá dois representantes nas semifinais. Nicholas Santos se classificou com o terceiro tempo (22s78) enquanto Henrique Martins foi o 14.º mais rápido (23s07). O melhor das eliminatórias da prova foi o sul-africano Chad Le Clos (22s47), uma das estrelas do Mundial. Eleito o nadador do ano, ele já bateu um recorde mundial em Doha, nos 100m borboleta.

No feminino, o Brasil avançou em duas provas nesta manhã, ambas de revezamento. No início do dia, Etiene Medeiros, Ana Carla Carvalho, Daiene Dias e Alessandra Marchioro obtiveram o terceiro tempo no 4x50 metros medley e garantiram vaga na final, com 1min47s20. A Dinamarca (1min46s76) e os Estados Unidos (1min46s82) dominaram as eliminatórias.

No fim da sessão, a equipe brasileira se classificou também no 4x100 metros livre. O time formado por Larissa Oliveira, Daynara de Paula, Daiane Oliveira e Alessandra Marchioro registraram o quinto tempo - 3min34s51, novo recorde sul-americano - e entraram na briga por medalha. As mais velozes foram as norte-americanas, lideradas por Natalie Coughlin, com o tempo de 3min31s02.

Com este resultado, o Brasil continua 100% no revezamento, garantindo até agora vaga na final em todas as provas deste tipo em Doha.

Já Ana Carla Carvalho, Jéssica Carvalho e Manuella Lyrio não avançaram em suas provas individuais. A primeira foi apenas a 31ª colocada nos 100 metros peito, com 1min07s82. Jéssica foi a 18ª (4min07s19) e Manuella foi a 23ª (4min08s73) nos 400 metros livre, prova dominada pela espanhola Mireia Belmonte na semifinal, com tempo de 4min00s29. Sensação deste Mundial, ela vai tentar obter seu quarto ouro em quatro provas em Doha.

Outro destaque da competição, a húngara Katinka Hosszu cravou o melhor tempo nas eliminatórias dos 200 metros costas, com 2min02s69. Na quinta, ela bateu o recorde mundial dos 100 m costas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.