Erza Shaw/ AFP
Erza Shaw/ AFP

Fernando Reis não preocupa após lesão em evento-teste

Brasileiro do levantamento de peso machucou o cotovelo, mas está confirmado para a Olimpíada

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2016 | 14h20

Principal nome do levantamento de peso do Brasil, Fernando Reis Saraiva saiu machucado do evento-teste da modalidade. No domingo, na Arena Carioca 1, ele machucou o cotovelo direito quando tentava bater o recorde pan-americano no arranco e foi direto para o hospital. Apesar do grande susto, ele não preocupa para os Jogos Olímpicos do Rio.

De acordo com a Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP), Fernando sofreu apenas um estiramento e deve voltar aos treinos ainda essa semana. "Ele desestabilizou o peso quando estava acima da cabeça, sentiu um estalo e estava com um pouco de dor na hora que flexionava o braço", explicou o chefe da equipe brasileira, Edmilson Dantas.

Ele nega que Fernando tenha forçado demais. "Não foi um exagero. O Fernando tinha feito (200kg) em teste no treino no mês passado, e queríamos confirmar a marca em competição, porque passaria a ser recorde pan-americano, que é 197kg. Foi falta de sorte, fatalidade".

O evento-teste valeu também como Campeonato Sul-Americano de Levantamento de Peso e o Brasil ganhou 10 medalhas na competição. O melhor resultado foi o ouro de Romário Martins na categoria até 94kg. Ele levantou 340kg na soma do arranco e do arremesso.

Assim, ele esquentou a briga pela terceira vaga masculina na delegação do Brasil no Rio-2016. Mateus Gregório e Fernando Reis estão praticamente garantidos e Romário disputa um lugar com Welisson Rosa, que é de uma categoria abaixo (85kg) e tem um resultado apenas 5kg inferior. Welisson está machucado e, por isso, não participou do Sul-Americano.

O Brasil tem direito a cinco credenciais no Rio-2016, sendo três homens e duas mulheres, e pode escolher não só o atleta, mas também a categoria. No feminino, Jaqueline Ferreira (75kg) tem vaga praticamente garantida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.