Fifa manda clubes liberarem jogadores sub-23 para Olimpíada

O presidente da Fifa, Joseph Blatter,disse nesta quarta-feira que os clubes têm que liberar seusjogadores com menos de 23 anos para o torneio olímpico defutebol, contrariando os argumentos dos times europeus quedisseram não ter a obrigação de liberá-los. A Fifa e a Associação dos Clubes Europeus (ECA), sucessorado antigo G14, que representava os principais clubes da Europa,emitiram notas totalmente contraditórias nesta quarta-feira. Ocomunicado da entidade responsável pelo futebol mundialreafirmou que é obrigatório que os clubes liberem osjogadores. Blatter, em carta a todos os membros da Fifa afirmou: "Aliberação dos jogadores com menos de 23 anos sempre foiobrigatória para todos os clubes. Os mesmos princípios seaplicam para os Jogos Olímpicos de Pequim 2008". Blatter acrescentou que o fato de a Olimpíada não estarincluída no calendário internacional de partidas da própriaFifa não significa que não havia obrigações para os clubes. Entretanto, o presidente da ECA, Karl-Heinz Rummenigge,disse em comunicado que "não há obrigação legal" para que osclubes liberem seus jogadores para o torneio olímpico. Rummenigge disse em nota: "Como a Olimpíada não está nocalendário internacional de partidas, a obrigação de se liberarjogadores para partidas de seleções nacionais de acordo com osregulamentos da Fifa não se aplica. Nós, portanto, apoiamostodos os clubes que atualmente podem perder jogadoresimportantes." Nesta semana, o lateral-direito brasileiro Rafinha seausentou dos treinos de pré-temporada de seu clube Schalke 04,da Alemanha, depois que eles repetidamente se recusaram aliberá-lo para os Jogos Olímpicos. Na terça-feira, o meia Diego, do Werder Bremen, tambémdesafiou as ordens de seu clube e deixou a Alemanha para sejuntar à seleção brasileira, enquanto a Confederação Brasileirade Futebol (CBF) criticou o Real Madrid por sua decisão deretirar Robinho dos Jogos, dizendo que o momento em que oanúncio foi feito atrapalhou as preparações do Brasil. O Schalke 04 disse nesta quarta-feira que levaria a disputacom Rafinha à Corte Arbitral do Esporte, seguindo a decisão doWerder Bremen de fazer o mesmo nesta terça-feira. O Schalke disse que tomaria a medida depois de não terrecebido respostas de cartas de protesto ao Comitê OlímpicoInternacional e à CBF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.