Alê Cabral / CPB
Alê Cabral / CPB

Final no tênis de mesa e jogo decisivo no goalball: os principais destaques do dia na Paralimpíada

Também há disputa de medalha garantida no atletismo; atletas de futebol de cinco, vôlei sentado e bocha voltam a jogar pela fase de grupos

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2021 | 18h00

Depois de um dia vencedor na Paralimpíada com quatro ouros, o Brasil volta para diversas competições na noite deste domingo, madrugada e manhã de segunda. O País se aproximou do 100º ouro paralímpico, pelo qual o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) nutre expectativa, e ocupa a sexta colocação no quadro de medalhas.

Para seguir tendo boa posição, o Brasil tem diversas disputas no atletismo e natação. Bruna Alexandre joga a final do tênis de mesa classe s10 na manhã, enquanto a seleção feminina de goalball tem um confronto decisivo para avançar de fase e as seleções de futebol de cinco e vôlei sentado buscam a segunda vitória. Confira os principais destaques e se programe, lembrando que o Brasil também terá diversas disputas no tiro com arco e no tiro esportivo ao longo da madrugada.

ATLETISMO

A principal competição é a de Vinícius Rodrigues, que disputa a final 100m rasos da classe T63 (atletas com amputações acima do joelho que usam próteses) às 08:33 da manhã. Na classificatória, o brasileiro quebrou o recorde paralímpico. Outras disputas finais envolvendo brasileiros acontecem pela manhã

TÊNIS DE MESA

Vale o ouro: depois de grande campanha, Bruna Alexandre encara a australiana (de origem chinesa) Qian Yang às 06:45. A brasileira é líder do ranking mundial, mas Yang já derrubou favoritas antes, incluindo uma tetracampeã paralímpica.

No tênis de mesa, as classes 1 a 5 são para cadeirantes e as classes de 6 a 10 para andantes, sendo que a classificação é feita com base na dificuldade motora dos atletas - quanto maior, menos a classe.

GOALBALL

A seleção feminina de goalball tem um jogo decisivo às 22:30: encara o Egito, no jogo entre as duas seleções do grupo que ainda não venceram. Como no grupo há cinco times e quatro avançam, quem vencer estará classificado. Até agora, o Brasil perdeu para Estados Unidos e Turquia e empatou com o Japão.

O goalball é um esporte para deficientes visuais em que três atletas jogam de cada lado, um pivô no centro e dois alas. Em campos opostos, os atletas lançam a bola com a mão para tentar marcar, enquanto os três do outro time defendem, podendo usar as mãos e pés para tal.

FUTEBOL DE CINCO

Após uma boa estreia com vitória por 3 a 0 sobre a China, a seleção brasileira enfrenta o Japão às 22:30 pela segunda rodada do grupo. O futebol de cinco é uma modalidade disputada por atletas com deficiência visual, e o Brasil é considerado favorito por ser o atual campeão mundial e até hoje a única seleção que conquistou ouro na Paralimpíada, em quatro edições.

NATAÇÃO

Maior medalhista brasileiro em Paralimpíadas com 27 no total, Daniel Dias volta a entrar na piscina para competir nos 50m costas da classe S5 (atletas com má-formação congênita nos braços ou pernas) às 21:52 pela eliminatória. Às 22:30, Edênia Garcia tenta avançar para a final dos 100m livres da classe S3 (atletas com braços e pernas amputados ou que não conseguem usar os membros).

BOCHA

Na rodada derradeira da fase de grupos, mais uma grande quantidade de brasileiros disputando para avançar ao mata-mata: na classe BC1, José Carlos Chagas e Guilherme Moraes atuam às 22:40, e Moraes tem outro jogo às 05h10. Pela BC2, Maciel Santos joga às 1:20 e Natali de Faria às 7:50. Na BC3, Evani Calado e Mateus Carvalho entram para as partidas às 23:55 e Evelyn Oliveira às 06:25. Por fim, na BC4, Eliseu dos Santos e Marcelo dos Santos atuam às 04:00.

A modalidade BC1 conta apenas com pessoas com paralisia cerebral, que podem jogar com as mãos ou com os pés e podem ter um auxiliar. Na BC2, o atleta apresenta quadro de paralisia cerebral e não tem auxílio. Na BC3, os atletas tem um grau maior de comprometimento motor. Os jogadores são assistidos pelos calheiros, que tem a função de direcionar a calha que auxilia na impulsão da bola de acordo com as orientações do atleta. Por fim, na BC4, os atletas tem deficiências com origem não cerebral, como distrofia muscular progressiva, esclerose múltipla, lesão medular com tetraplegia, etc.

VÔLEI SENTADO

A seleção masculina tenta garantir vaga na próxima fase: após bater a China na estreia por 3 sets a 1, encara o Irã na segunda rodada às 08:30 da manhã para ficar tranquilo. O Brasil é considerado um dos favoritos na modalidade.

O goalball é um esporte para deficientes visuais em que três atletas jogam de cada lado, um pivô no centro e dois alas. Em campos opostos, os atletas lançam a bola com a mão para tentar marcar, enquanto os três do outro time defendem, podendo usar as mãos e pés para tal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.