'Fiquei esperando o resultado da russa no placar', diz Maurren

Brasileira seguiu o ritual e ficou de costas no salto da russa; brasileira espera ter ajudado o atletismo no País

Wilson Baldini Jr., enviado especial — Wilson Baldini Jr.

22 de agosto de 2008 | 15h29

O último salto da russa Tatyana Lebedeva, a única que poderia tirar a medalha de ouro de Maurren Maggi, foi o mais emocionante da disputa do salto em distância. Nem mesmo o primeiro salto da brasileira, o qual valeu a marca de 7,04 metros, foi tão importante. Lebedeva tinha a última chance para bater a brasileira, que teria ainda mais uma oportunidade para manter a liderança e o ouro.     No final, Lebedeva conseguiu a marca de 7,03 metros, um centímetro a menos que o da brasileira, e, por pouco não ficou com o ouro. "Eu estava preparada para a última tentativa. Eu sabia que ela iria tentar até o final, e fiquei concentrada o tempo todo e ainda estava confiante para ir bem depois dela", garantiu Maurren.   Segundo a brasileira, o salto da russa, ouro no triplo em Pequim, foi o momento mais tenso da prova. "Não gosto de olhar o salto das outras meninas. Na hora, eu fico de costas e nem vejo nada. E fiz a mesma coisa, fiquei esperando para comemorar e só pulei de alegria depois que vi o 7,03 dela no placar do estádio", confessou a brasileira.   "Espero que a minha conquista aqui em Pequim ajude o atletismo brasileiro, que está melhorando, mas, como tudo por aqui, ainda falta muito para ficar ideal. Fico contente se isso puder ajudar o País de alguma forma", declarou a brasileira de 32 anos e dois Jogos Olímpicos no currículo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.