Fora da final dos 100 m, Rosângela Santos pensa em aposentadoria

Brasileira terminou em sexto lugar em sua bateria

Gonçalo Junior e Nathalia Garcia, enviados especiais ao Rio, O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2016 | 23h37

Depois de ficar fora da final dos 100 m, a velocista brasileira Rosângela Santos, uma das grandes esperanças do atletismo brasileiro nos Jogos do Rio, pensa em encerrar a carreira. 

"Não sei se chegou a hora de parar. Vou repensar se chegou o momento de continuar tentando final olímpica. É muito difícil. É uma dedicação muito grande. Fui para EUA para estar nessa final e está sendo como uma faca no meu peito. Está doendo bastante", afirmou a brasileira na noite deste sábado, no Engenhão. 

Com o tempo de 11s23, a atleta terminou em sexto lugar em sua bateria. Apenas se classificam as duas colocadas mais os dois melhores tempos na classificação geral. A final será realizada na noite desta domingo no Engenhão. Rosângela confessa que tem dificuldade para conciliar o ritmo de treinamento com sua vida pessoal. 

"É uma minha vida inteira. A gente não treina só de quatro em quatro anos. A dedicação, o treinamento, as dificuldades, as dores aumentam. E a minha vida está passando. Quero ser mãe. 

Talvez a Olimpíada não seja para mim. Ser finalista em Pequim foi o que eu tinha que ter. Mas vou repensar. Talvez eu treine para o Mundial do ano que vem talvez não", afirmou.  

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.