Forte segurança cerca revezamento da tocha olímpica na Grécia

A segurança do revezamento da tochaolímpica dos Jogos de Pequim será reforçada em seu último diana Grécia, neste sábado, com a polícia local alterandorepetidas vezes o itinerário até a Acrópole, em Atenas, portemer protestos durante a passagem da tocha. Ativistas dos direitos humanos e defensores da causa doTibet interromperam a cerimônia de acendimento da tocha, emOlímpia, na segunda-feira, furando o cordão de segurança eabrindo cartazes de protesto durante o discurso do chefe dosJogos Olímpicos de Pequim. Mais protestos marcaram o início do revezamento, commanifestantes deitando-se no chão em frente aos veículos queacompanhavam os escolhidos para conduzir a tocha em Olímpia,além de segurar os condutores da chama olímpica várias vezes. "A rota do revezamento até Acrópole já foi mudado trêsvezes hoje", afirmou à Reuters, sob a condição de anonimato, umoficial próximo à organização do revezamento. "Nós mesmos nãosabemos qual horário exato que a tocha chegará à Acrópole." Tibetanos exilados e ativistas dos direitos humanosafirmaram que vão protestar em Atenas neste sábado e nodomingo, dia no qual a tocha será entregue oficialmente aosorganizadores dos Jogos de Pequim. A tocha, então, chegará à China no dia 31 de março para darinício ao revezamento local e internacional. Mais de mil policiais estarão de guarda durante a cerimôniade entrega da tocha, que será realizada no Estádio Panathenian,local dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, em 1896.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.