Matsui Mikihito / CPB
Matsui Mikihito / CPB

Futebol de 5 estreia neste sábado: veja os principais destaques da noite na Paralimpíada

Brasil tem Alana Maldonado e Antônio Tenório estreando no judô e Alan Fonteles no atletismo

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2021 | 18h00

O Brasil começa a disputar hoje um dos esportes da Paralimpíada em que é mais dominante: o futebol de 5, modalidade disputada em quatro edições dos Jogos e na qual só a seleção brasileira conquistou o ouro. Além do esporte, também teremos a estreia de Edênia Garcia e mais uma prova de Gabriel Bandeira na natação, mais jogos de bocha e Alana Maldonado e Antônio Tenório disputando no judô.

FUTEBOL DE CINCO

Principal favorito à conquista do ouro na modalidade para deficientes visuais, o Brasil joga às 23:30 contra a China, na estreia em Tóquio-2020. A modalidade é disputada por atletas com deficiência visual (exceto os goleiros dos times).

ATLETISMO

O Brasil já está garantido na final dos 200m da classe T36 (atletas com paralisia cerebral e dificuldades motoras, que conseguem andar), com Samira Brito e Tascitha Oliveira, disputada às 00h 10. Alan Fonteles disputa a classificatória dos 100m da classe T64 (atletas com próteses nas duas pernas) na manhã de domingo, às 9h39.

JUDÔ

O judô tem as disputas de dois favoritos à medalha: campeã mundial e prata na Rio-2016, Alana Maldonado enfrenta a italiana Matilde Lauria às 22h38 pela categoria até 70kg. Antônio Tenório, quatro vezes ouro nas Paralimpíadas, entra no tatame às 23:06 contra um adversário ainda a ser definido pela categoria até 100kg. O judô paralímpico tem apenas atletas deficientes visuais, sendo que cada classe é para um grau de cegueira (um para cegos, dois para quem enxerga vultos e três para quem forma imagens pouco nítidas).

GOALBALL

Já classificada para a próxima fase, a seleção masculina encara os anfitriões japoneses às 21h, no último jogo da primeira fase. A partida é importante para definir o adversário na próxima fase.

O goalball é um esporte para deficientes visuais em que três atletas jogam de cada lado, um pivô no centro e dois alas. Em campos opostos, os atletas lançam a bola com a mão para tentar marcar, enquanto os três do outro time defendem, podendo usar as mãos e pés para tal.

NATAÇÃO

O Brasil tem a estreia de Edênia Garcia, que nada a classificatória dos 50m costas da classe S3 (atletas com braços e pernas amputados) às 22h02, e terá a volta de Gabriel Bandeira, que já tem três medalhas em Tóquio. O nadador busca o ouro na disputa dos 100m peito da classe SB14 (atletas com deficiência intelectual), começando a classificatória às 21h32.

BOCHA

Diversos brasileiros têm jogos pela fase de grupos: Marcelo dos Santos joga contra o Leung Yuk Wing, de Hong Kong, pela BC4 às 21:30, mesmo horário em que seu irmão enfrenta o russo Sergey Safin, pela mesma classe. Às 22:40, dois jogos pela BC1, Guilherme Moraes encara Olga Dolgova e Andreza Vitória tenta bater o sul-coreano Jung Songjoon. Evelyn Oliveira encara o tailandês Somboon Chaipanich na BC3, mesma classe em que Evani Calado joga contra Ho Yuen Kei, de Hong Kong e às 06h25 e Mateus Carvalho enfrenta Tse Tak Wah, também de Hong Kong e também às 06h25. Pela BC2, Natali de Faria tenta derrotar Watcharaphon Vongsa às 01h20 e Maciel Santos joga contra Luis Cristaldo às 06:25. Por fim, na BC1, temos os jogos de Andreza Vitória contra a tcheca Katerina Curinova e José Carlos Chagas contra Yuriko Fujii, do Japão.

A modalidade BC1 conta apenas com pessoas com paralisia cerebral, que podem jogar com as mãos ou com os pés e podem ter um auxiliar. Na BC2, o atleta apresenta quadro de paralisia cerebral e não tem auxílio. Na BC3, os atletas tem um grau maior de comprometimento motor. Os jogadores são assistidos pelos calheiros, que tem a função de direcionar a calha que auxilia na impulsão da bola de acordo com as orientações do atleta. Por fim, na BC4, os atletas tem deficiências com origem não cerebral, como distrofia muscular progressiva, esclerose múltipla, lesão medular com tetraplegia, etc.

REMO

O Brasil já tem uma final garantida, com Claudia Cícero Sabino: às 22h50, ela disputa a decisão do skiff simples PR1. Nessa classificação, o atleta tem pouco controle do tronco e compete com um suporte enquanto rema dos dois lados.

VÔLEI SENTADO

Após vitória suada contra o Canadá na estreia, a seleção feminina joga contra o Japão às 8h30 da manhã, podendo garantir vaga. O esporte tem as mesmas regras do vôlei olímpico, porém com atletas que não podem usar as duas pernas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.