Futebol olímpico é como convidado incômodo que reluta em sair

O futebol frequentemente parece estar emmá companhia na Olimpíada mas, como um convidado indesejado,reluta em deixar a festa. Um dos poucos esportes que evita enviar a maioria de seusmelhores jogadores para participar, o futebol foi, na maiorparte do tempo, deixado de lado da real ação na China, commuitas partidas jogadas a milhares de quilômetros de Pequim. A Fifa limitou a participação no torneio a jogadoressub-23, com cada time podendo levar até três atletas acimadessa idade. O objetivo da entidade é evitar que a Olimpíadarivalize com a Copa do Mundo. Muitos críticos acham que isso criou um evento híbrido eque o futebol deveria deixar os Jogos, ou acabar com o limitede idade. Apesar da controvérsia, o torneio, que terminou com avitória da Argentina na final sobre a Nigéria por 1 x 0,atingiu um recorde de 2,14 milhões de espectadores nos 58jogos, nos torneios masculino e feminino, média de público de36.000 pessoas. Também ostentou dois dos maiores nomes do esporte, com aArgentina trazendo Messi e o Brasil, Ronaldinho Gaúcho.Mas a presença de Messi esteve ameaçada devido a uma disputaentre a Argentina e o Barcelona. Na véspera da estréia dosargentinos, o Barcelona venceu um recurso na Corte deArbitragem do Esporte contra a regra da Fifa que obriga osclubes a liberarem os jogadores sub-23. Mas a equipe espanhola concordou em permitir que elecontinuasse na China depois de chegar a um acordo com aconfederação argentina. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse que as críticassobre o futebol olímpico vêm principalmente da Europa e apontaque, fora Barcelona-1992 e Atenas-2004, o torneio tem sidodisputado sempre com casa lotada desde a introdução do formatosub-23. "Na Europa eles estão mal acostumados com o futebol", disseBlatter, completando que ele deve propor o mesmo formato atualpara Londres-2012. "Pergunte aos organizadores de Atlanta, Sydney ou Pequim seeles não gostaram de ter o futebol." Blatter disse esperar que a Grã-Bretanha encontre uma formade colocar um time em campo para os Jogos de Londres. As associações de futebol de Gales, Irlanda do Norte eEscócia têm dito que não vão tomar parte de uma equipebritânica, temendo que isso possa abrir um precedente perigoso,que pode resultar na Grã-Bretanha formando uma equipe únicapara campeonato europeus e a Copa do Mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.