Satiro Sodré|SSPress
Satiro Sodré|SSPress

Garantido nos Jogos do Rio, Thiago Pereira pede união da equipe

'Vai ser todo mundo jogando para o mesmo time', diz o nadador

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

19 de abril de 2016 | 20h04

O inusitado empate entre Thiago Pereira e Henrique Rodrigues na final dos 200 metros medley do Troféu Maria Lenk não foi novidade para Thiago. Logo após a prova, ele lembrou que já havia empatado uma disputa em 2002. Mas o desta terça-feira teve um gostinho especial, já que o tempo de 1min57s91 colocou a dupla nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"A primeira vez que eu empatei faz muito tempo. Foi em 2002, no Troféu Brasil, em Brasília. Na época eu empatei com o Lucas Salatta, e agora é a segunda vez que estou empatando nos 200m medley", recordou Thiago.

Henrique Rodrigues empatou uma prova pela primeira vez na vida, mas o sorriso dele após a prova tinha um motivo bem mais especial. "É uma alegria muito grande a gente (ele e Thiago) estar garantido na Olimpíada. É isso que conta e é o que a gente veio buscar aqui", comentou.

Thiago Pereira aproveitou para pregar união da equipe para os Jogos. "A gente tem que olhar esse time inteiro como um time só. A partir de agora, todos nós, independente de clube, a gente é Brasil. Não tem mais (dizer que) a gente é Pinheiros, Minas, Corinthians, Sesi. Na Olimpíada vai ser todo mundo jogando para o mesmo time", ponderou.

Ele também elogiou o atual nível da natação brasileira. "A gente está no caminho certo, e vem evoluindo a cada ciclo olímpico. A gente espera que não seja só a maior (delegação), mas que tenha grandes resultados positivos também", disse Thiago.

O nadador também pediu "pés no chão". "Tem que saber que é uma Olimpíada, e da mesma maneira que estamos treinando, o mundo inteiro também está. Não vai ser fácil para ninguém, mas podem ter certeza que vamos brigar muito."

FEMININO

Nesta terça, quem também alcançou índice olímpico foi Larissa Oliveira. Ela venceu os 100 metros livre em 54s03, estabelecendo novo recorde sul-americano. No domingo, a nadadora já havia feito o mesmo na prova de 200m livre.

"Eu estou numa fase boa. Como eu disse, a gente não consegue mergulhar duas vezes no mesmo dia, porque aquela água já passou, e a minha fase ruim já passou. Eu vim aqui preparada, com novos objetivos, mais firmes, e o principal é o psicológico bom", destacou, pouco depois da final.

"Comecei bem a competição, já fui direto quebrar o gelo dos 200m livre. Eu consegui o índice pela manhã, e quando a primeira prova sai fácil é só manter os pés no chão e se concentrar pro resto da competição", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.