Timothy Clary/ Getty Images
Timothy Clary/ Getty Images

Novo ciclo da natação brasileira classifica só 4 para a Olimpíada

"Geração 2016" tem quatro dos 29 nadadores no Rio-2016

Demétrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

21 de abril de 2016 | 13h37

A chamada "Geração 2016" terá participação pequena na seleção brasileira de natação que disputará os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. Dos 29 nadadores garantidos no time, apenas quatro são da leva que chegou à categoria adulta durante o atual ciclo olímpico. Por outro lado, sete são remanescentes da jovem equipe que foi aos Jogos Pan-Americanos de 2007.

Se naquela competição, também no Rio, Thiago Pereira, Kaio Marcio, Henrique Barbosa, Nicolas Oliveira, Daiene Dias, Joanna Maranhão e Manuella Lyrio (e também Cesar Cielo e Felipe Lima) eram todos jovens com menos de 23 anos, agora a experiência e a boa forma deles dificulta a renovação do time.

Apenas quatro dos atletas que disputaram ou poderiam disputar Mundiais Júnior entre 2012 e 2016 conseguiram entrar na equipe olímpica: Brandonn Almeida (400 metros medley e 1.500m), Luiz Altamir (400m e revezamento 4x200m livre), Matheus Santana (revezamento 4x100m livre) e Gabrielle Roncatto (revezamento 4x200m livre).

Mesmo as surpresas da delegação são atletas de uma geração anterior. São os casos de Ítalo Manzine (24 anos), André Pereira e Miguel Valente. Esses últimos fazem 23 anos em 2016 e estiveram no Mundial Júnior de 2011. Eram, como Ítalo, da chamada "Geração 2012".

Alguns dos jovens da "Geração 2016" até fizeram por merecer uma vaga no time que irá ao Rio, mas foram superados pelos veteranos. É o caso de Vinicius Lanza, prata no Mundial Júnior do ano passado, que venceu o Maria Lenk nos 100m borboleta com 52s22, o 17.º melhor tempo do mundo. Fica fora dos Jogos pelo que Henrique Martins e Marcos Macêdo fizeram marcas ainda melhores no Open e no Brasileiro Sênior, no fim do ano passado.

Pedro Cardona foi ainda mais longe. É o 11.º do mundo nos 100m peito, quebrando a barreira do minuto: 59s77. Mas João Gomes Júnior e Felipe França, nove e oito anos mais velhos que eles, é que vão aos Jogos. Gabriel Santos fez o quinto tempo para o revezamento 4x100m livre e ainda tem alguma esperança de convocação. O mesmo vale para Luana Ribeiro no revezamento feminino.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio-2016NataçãoOlimpia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.