Shuji Kajiyama / AP
Shuji Kajiyama / AP

Giovane Vieira fatura mais uma prata para o Brasil na canoagem da Paralimpíada

Brasileiro ficou em segundo na prova dos 200m VL3, que teve australianos levando ouro e bronze

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2021 | 06h01

Depois de Fernando Rufino ganhar o primeiro ouro do Brasil na canoagem da Paralimpíada, o esporte rendeu ainda mais uma medalha para o País no penúltimo dia de competições em Tóquio: Giovane Vieira levou prata na prova dos 200m do barco va'a, classe VL3, ficando atrás apenas do australiano Curtis McGrath.

Giovane e o compatriota Caio Ribeiro estavam entre os melhores tempos das semifinais, segundo e terceiro lugar, após não irem tão bem nas primeiras baterias classificatórias. Na decisão, o australiano Curtis McGrath fez valer o favoritismo e, após sair atrás, assumiu a ponta no meio e não perdeu mais, ficando com o ouro.

Giovane, por outro lado, teve uma excelente largada e nunca deixou de estar entre os três primeiros. Depois, manteve o ritmo e garantiu a medalha de prata. O bronze foi para o também australiano Stuart Wood, enquanto Caio Ribeiro, que tinha sido bronze no Rio, ficou na sétima posição.

Além do ouro de Rufino e da prata de Giovane, o Brasil já havia conquistado a prata com Luis Carlos Cardoso no KL1 200m. Dessa forma, se tornou uma modalidade importante para o País no quadro de medalhas.

Na canoagem paralímpica, as siglas são montadas da seguinte forma: a primeira letra é para o tipo de embarcação, V para va'a e K para caiaque. O L e o número se referem a uma pontuação atingida pelo atleta em testes médicos, técnicos e na água, cujo número define o grau de comprometimento físico-motor do atleta - quanto menor o grau, maior o comprometimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.