Golfista sul-coreano é a mais nova baixa olímpica por temor ao zika

Kim Kyung-Tae é primeiro atleta do país a desistir dos Jogos Olímpicos

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2016 | 11h59

O golfista sul-coreano Kim Kyung-Tae, 29 anos, anunciou nesta segunda-feira que não participará dos Jogos Olímpicos do Rio por medo do vírus da zika. A desistência de Kyung-Tae teve grande repercussão no país porque as autoridades sul-coreanas têm tomado uma série de precauções justamente para tentar evitar baixas no time olímpico por causa do zika.

Kyung-Tae é o primeiro atleta sul-coreano a anunciar que não irá ao Rio por causa do zika. Ele alegou que pretende ter o segundo filho e, por isso, teme ser infectado com o vírus da zika no Rio. "Como pai, eu não queria correr o risco, não importa o quão improvável isso seja possível", disse Kyung-Tae através de um comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa.

O golfe está entre os esportes mais populares da Coreia do Sul. Ídolo no país, Kyung-Tae se desculpou com os torcedores. "Eu gostaria de pedir desculpas do fundo do meu coração para os fãs que estão decepcionados com a minha decisão", disse.

O Comitê Olímpico da Coreia do Sul chegou a encomendar uniformes especiais com repelente de mosquitos para os atletas usarem nas cerimônias de abertura e encerramento e durante o período em que estiverem na Vila Olímpica. Na semana passada, uma empresa do país também anunciou que havia desenvolvido uma roupa com repelente para os atletas do tiro com arco e do golfe usarem durante as provas.

Número 41 do ranking mundial, Kyung-Tae é o segundo melhor golfista da Coreia do Sul. Diante das desistências de vários golfistas sob alegação de temor ao zika, incluindo o número 1 do mundo, o australiano Jason Day, havia a esperança de que ele pudesse lutar por uma medalha nos Jogos do Rio.

Com a debandada de golfistas aumentando a cada semana, dirigentes do Comitê Olímpico Internacional já cogitam a possibilidade de retirada da modalidade do programa olímpico a partir de Tóquio-2020. O circuito profissional do golfe tem competições às vésperas dos Jogos do Rio e logo depois da competição no Brasil com premiações milionárias pagas em dólar. Na Olimpíada, os atletas não recebem dinheiro pela participação. O golfe ficou fora da programação olímpica por 112 anos.

Kyung-Tae deverá ser substituído nos Jogos do Rio por Wang Jeung-hun, número 76 do ranking mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.