Reuters
Reuters

Governo brasileiro aumenta segurança de presidente francês nos Jogos do Rio

François Hollande estará presente à cerimônia de abertura da Olimpíada

Tânia Monteiro, de Brasília, O ESTADO DE S.PAULO

19 de julho de 2016 | 07h00

Diante da elevação do nível de ameaça à segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ampliado em decorrência do novo atentado terrorista ocorrido em Nice, na França, na semana passada, o governo brasileiro decidiu aumentar a segurança do presidente da França, François Hollande, que estará presente à cerimônia de abertura da Olimpíada. 

Além da Polícia Federal e de integrantes da Força Nacional de Segurança, o serviço secreto francês estará atuando na proteção de Hollande, um dos chefes de Estado mais visados pelo terroristas no momento.  Um “protocolo especial” está sendo preparado para receber o presidente francês, não apenas onde ele estará hospedado, mas por todos os locais por onde ele passar e for.

ESTADO ISLÂMICO

Nesta segunda-feira, um grupo extremista muçulmano brasileiro declarou lealdade ao Estado Isâmico (EI, ex-Isis). A informação, divulgada pela agência de notícias italiana ANSA, foi colhida pela especialista norte-americana Rita Katz, membro do SITE Intel Group, especialista em monitoramente de atividades terroristas.

De acordo com Katz, o grupo criou um canal aberto rede social conhecida como Telegram (versão russa do WhatsApp), chamado "Ansar al-Khilafah Brazil", onde escreveu: "Se a polícia francesa não consegue deter ataques dentro do seu território, o treinamento dado à polícia brasileira não servirá em nada", se referindo aos treinamentos conjuntos da polícia francesa com oficiais brasileiros como parte dos preparativos para segurança do Rio-2016.

Já o presidente em exercício, Michel Temer, gravou um novo vídeo para "tranquilizar" atletas e turistas. "Já determinei reforço da segurança durante os Jogos para dar a você a tranquilidade para a visita que fará ao Brasil e ao Rio de Janeiro", afirmou Temer em vídeo publicado nesta segunda-feira no site da Presidência, nas redes sociais e também enviado a embaixadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.