Governo chinês fecha canteiros de obras em Pequim

Medida visa melhorar trânsito, poluição do ar e sonora da cidade que será sede dos Jogos Olímpicos

Ansa

21 de julho de 2008 | 12h59

Centenas de milhares de migrantes estão deixando Pequim após a suspensão dos trabalhos nos canteiros de obras por ordem das autoridades locais, em vista da abertura dos Jogos Olímpicos, em 8 de agosto, segundo o jornal Hong Kong South China Morning Post.Para aliviar o trânsito e assegurar uma maior vigilância durante os Jogos, milhares de canteiros permanecerão fechados por 60 dias. Também foram paralisados trabalhos de decoração de interiores seja nos distritos financeiros como nos residenciais. Ficam isentos da proibição todos os projetos de obras ligadas às Olimpíadas.Alguns operários relataram ao jornal que os trabalhadores que não estiverem trabalhando em obras olímpicas serão obrigados a deixar a cidade nos próximos dias. "Fato que não deveria ocorrer segundo aquilo que havia sido anunciado no ano passado pela prefeitura da capital chinesa", denuncia o jornal.Os trabalhadores têm problemas também por causa das restrições à circulação de caminhões de carga e ao conseqüente aumento dos preços dos materiais de construção. Os canteiros que violarem a regra serão multados em até 10 mil yuan (equivalente a 900 euros).Em toda a China, dezenas de milhões de trabalhadores migram das áreas rurais pobres em direção aos grandes centros urbanos.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008OlimpíadasChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.