Grã-Bretanha iguala recorde de ouros de 100 anos atrás

A Grã-Bretanha alcançou seu maior númerode medalhas de ouro em um século na terça-feira, com mais trêsvitórias no ciclismo e na vela, e se entusiasma para os Jogosde 2012, em Londres. O terceiro lugar no quadro de medalhas é inesperado, com 15medalhas de ouro -- seu melhor feito desde os Jogos de Londres,em 1908. A China está na frente no quadro de medalhas, com 42 ouros-- o que ajuda a diminuir a decepção nacional depois da lesãodo ídolo Liu Xiang, do atletismo. Os Estados Unidos estão em segundo lugar, com 25 ouros no11o dia de competições e estão empenhados na praticamenteimpossível tarefa de ultrapassar a China, cujo desempenhoolímpico reflete seu crescimento econômico e político. Enquanto o crescimento da China parece inevitável, já que opaís tem um quinto da população mundial, o sucesso daGrã-Bretanha é mais surpreendente. Até os tradicionais rivaisse espantaram. "Eles com certeza estão mostrando serviço", disse opresidente do Comitê Olímpico Australiano, John Coates. O melhor desempenho dos britânicos foi no ciclismo. Chris Hoy e Victoria Pendleton levaram mais dois ouros nascorridas masculina e feminina. Foram oito as medalhas de ourobritânicas no ciclismo em Pequim, na pista e na estrada. Em Qingdao, na costa leste da China, Paul Goodisoncompensou a decepção de Atenas, quando quase desistiu, e venceua categoria Laser na vela. O sucesso da Grã-Bretanha, demonstrado com maestria nociclismo, vela, natação e remo, é atribuído aos pesadosinvestimentos no esporte, o que permitiu que atletas etreinadores treinassem em tempo integral. Houve também melhorasnas instalações. Boa parte do dinheiro investido provém daloteria. "Podemos dominar as ondas de novo", disse o jornal The Sun,embarcando na onda de patriotismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.