Guilherme Guido bate recorde e faz o índice olímpico

Nadador consegue índice nos 100 metros costas e se torna o 10.º brasileiro garantido em Pequim 2008

Agência Estado

13 de março de 2008 | 20h21

Guilherme Guido é o 10.º nadador brasileiro garantido na Olimpíada de Pequim. Na tarde desta quinta-feira, durante a disputa do Campeonato Sul-Americano de Esportes Aquáticos, em São Paulo, ele fez o índice olímpico nos 100 metros costas e se juntou a César Cielo, Thiago Pereira, Flávia Delaroli, Gabriel Mangabeira, Henrique Barbosa, Rodrigo Castro, Kaio Márcio, Lucas Salatta e Nicholas Santos, os outros representantes da natação do Brasil já classificados. O índice olímpico foi conseguido ainda nas eliminatórias dos 100 metros costas - a final será na manhã desta sexta-feira -, quando Guilherme Guido fez o tempo de 54s67. A marca exigida para Pequim era de 55s57 e ele, inclusive, quebrou o recorde sul-americano da prova, que pertencia a Thiago Pereira (54s75). "Fiz abaixo do índice nos treinos, mas preferi não falar muito e me concentrar. Estou treinando pesado, não descansei, então agora é pensar em melhorar ainda mais", disse Guilherme Guido, após conseguir o índice olímpico. "Agora sinto um alívio enorme e uma motivação maior também." RECORDES Além de Guilherme Guido, outros nadadores brasileiros conseguiram novas marcas sul-americanas nesta quinta-feira, na piscina do Pinheiros, em São Paulo. Foi o caso de Henrique Barbosa, que levou medalha de ouro nos 100 metros peito com o tempo de 1m01s44. Com esse tempo, Henrique Barbosa bate o próprio recorde sul-americano nos 100 metros costas - havia feito a antiga marca no Pan do Rio, em julho passado. E também superou mais uma vez o índice olímpico da prova, na qual já estava garantido em Pequim. Nas eliminatórias dos 100 metros livre, Tatiana Lemos fez o tempo de 55s73 e bateu o recorde sul-americano - a antiga marca (55s78) era dividida pela venezuelana Arlene Semeco e a brasileira Rebeca Gusmão. E nas eliminatórias dos 50 metros borboleta, Gabriella Silva também quebrou o recorde sul-americano, que era dela mesmo, ao fazer 27s48.  PÓDIO Nas finais disputadas nesta quinta-feira, o Brasil somou oito medalhas de ouro. Além de Henrique Barbosa nos 100 metros peito, as vitórias foram de Nicholas dos Santos (50m borboleta), Monique Ferreira (400 metros livre), Lucas Salatta (200 metros costas), Gabriella Silva (100 metros borboleta), Joanna Maranhão (200 metros medley), Rodrigo Castro (200 metros livre) e o revezamento 4x200 metros livre feminino (Manuella Lyrio, Tatiana Barbosa, Joanna Maranhão e Monique Ferreira). PÓLO AQUÁTICO A seleção brasileira feminina somou nesta quinta-feira a sua segunda vitória no Campeonato Sul-Americano. Depois de fazer 13 a 4 na estréia contra a Argentina, o Brasil arrasou o Chile: 27 a 3. Já a seleção masculina estreou com uma vitória tranqüila no torneio. Também nesta quinta-feira, derrotou a Venezuela por 14 a 5. SALTOS ORNAMENTAIS A brasileira Juliana Veloso conseguiu nesta quinta-feira a medalha de ouro na prova da plataforma, ao somar 335,50 pontos, contra 281,65 da venezuelana Kiara Buelvas. Em outra prova do dia, nos saltos ornamentais, a dupla brasileira Hugo Parisi e Ubirajara Barbosa terminou com a medalha de prata na plataforma sincronizada. Eles fizeram 340,02 pontos e perderam o ouro para os colombianos Juan Uran e Victor Ortega, com 402,21.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.