Petr David Josek/AP
Petr David Josek/AP

'Hoje já jogamos em ritmo de mata-mata', diz Pedro Solberg

Dupla brasileira passou para as oitavas no vôlei de praia

Mariana Durão, Estadão Conteúdo

11 Agosto 2016 | 21h15

O Brasil chega com força total às oitavas de final do vôlei de praia, após a classificação na reta final dos brasileiros Evandro e Pedro Solberg. Os dois venceram a dupla Samoilovs/Smedins, da Letônia, nesta quinta-feira e seguiram vivos na briga. Larissa e Talita, Alison e Bruno Schmidt e Ágatha e Bárbara Seixas completam o time brasileiro. As primeiras foram as únicas que se classificaram invictas, sem perder nenhum set.

Após o jogo, no fim da tarde desta quinta, Evandro fez um desabafo. "Falei com a comissão técnica: não quero saber se vou para a repescagem ou se vou passar direto. Eu quero é passar, porque se passar o bicho pega", disse o jogador.

O dia foi de fazer contas, para a dupla e para os jornalistas. Pedro e Evandro ficaram com 4 pontos, assim como letões e canadenses, mas terminaram em segundo no Grupo D pelo critério de desempate. Dessa forma garantiram a classificação direta, sem ter que jogar a repescagem.

"A gente sabia que ganhar era suficiente para continuar no torneio. Claro que desde que a gente não perdesse um set por uma diferença absurda. Agora é pensar na etapa eliminatória, mas o mata-mata para a gente até começou antes. Hoje já foi mata-mata. Fizemos uma boa primeira fase, tivemos chances de ganhar nossas partidas anteriores, mas não demos sorte", comentou Pedro Solberg.

As oitavas de final do vôlei de praia começam nesta sexta-feira, às 11h. Os confrontos serão definidos na noite de hoje por sorteio, mas ainda há duplas jogando pela primeira fase até 23 horas.

 

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.