AP
AP

'Impecável', defesa do Brasil é absolvida de críticas na seleção olímpica

Marquinhos e Rodrigo Caio formam dupla de zaga invicta

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

14 Agosto 2016 | 02h35

A seleção olímpica chega à semifinal da Olimpíada sem ter levado um gol sequer em quatro partidas – e também não foi vazada no amistoso que ganhou do Japão por 2 a 0. É a única defesa invicta da competição. E os méritos são divididos até com os atacantes.

Para o zagueiro Marquinhos, a disciplina tática do time é fundamental. “Pela maneir de jogar, a gente sabe que é muito difícil (para os atacantes rivais). Todo mundo é disciplinado, fica atento para não levar gol", disse.

Com a invencibilidade, tanto ele como Rodrigo Caio têm passado incólume de críticas. Foram “absolvidos" até mesmo nas partidas em que a seleção não jogou bem, como contra a África do Sul e o Iraque. “Enquanto não falarem da defesa é bom sinal. Sabemos da responsabilidade de dar segurança aos atacantes e estamos cumprindo o nosso papel."

O técnico Rogério Micale diz que o sucesso da defesa está diretamente ligado à determinação de todos os jogadores, que abraçaram a maneira de jogar proposta por ele. “O comportamemnto defensivo se inicia com o setor ofensivo da equipe. Nós temos dois grandes zagueiros, dois grandes laterais e meio-campistaws atuando de forma magnífica'', afirmou. “Mas esse setor ofensivo tem contribuído de forma decisiva nessa organização defensiva. É jogar junto, espírito coletivo, compactado, agrupado. Isso nos permite entrar com uma equipe tão ofensiva."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.