Koji Sasahara / AP
Koji Sasahara / AP

Imperador do Japão confirma presença na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Naruhito, no papel de presidente honorário da Olimpíada, deve declarar o início oficial do evento nesta sexta-feira, às 8h de Brasília

AFP, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2021 | 08h28

A Agência da Casa Imperial divulgou nesta terça-feira que o imperador do Japão, Naruhito, participará da cerimônia de abertura da Olimpíada de Tóquio na próxima sexta-feira, a partir das 20h local e 8h no horário de Brasília do dia anterior, quando, no papel de presidente honorário dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2020, deve declarar oficialmente a abertura do evento.

No entanto, apesar da presença confirmada do imperador, ao ser questionado sobre a sua participação, um chefe da Agência não confirmou à AFP se Naruhito irá participar de fato do evento.

A expectativa pela participação do imperador além de um espectador se deve também ao fato de seu pai, Akihito, ter declarado abertos os Jogos de Inverno de Nagano, em 1998, e de seu avô, Hirohito, ter feito o mesmo nos Jogos de Verão de Tóquio, em 1964, e nos Jogos de Inverno de Sapporo, em 1972. É uma tradição, portanto, da família imperial do Japão.

Naruhito não estará acompanhado da imperatriz Masako. Ele estará ao lado de algumas centenas de personalidades japonesas e estrangeiras, uma vez que a cerimônia, assim como quase todas as competições nos Jogos de Tóquio, acontecerá sem a participação do público e com convidados mais restritos. Não se tem notícia da participação de grandes líderes do mundo.

O imperador do Japão não tem poder político, mas é figura simbólica para o país. Assim, um dia antes da abertura oficial da Olimpíada, Naruhito deve receber altos funcionários do Comitê Olímpico Internacional (COI), incluindo o presidente Thomas Bach, no Palácio Imperial na quinta-feira. 

No dia seguinte, antes da cerimônia de abertura, líderes estrangeiros terão um encontro com o imperador. As informações são da rede de televisão pública japonesa, NHK. No fim de junho, com a aproximação da Olimpíada de Tóquio, o chefe da Agência da Casa Imperial, Yasuhiko Nishimura, disse à imprensa que Naruhito estava muito preocupado com o aumento dos casos de covid-19, temor compartilhado com grande parte da população japonesa. Mais tarde, o governo japonês minimizou a declaração, estimando que Nishimura apenas expressou seus próprios sentimentos.

Por causa da impopularidade dos Jogos de Tóquio para parcela significativa dos japoneses, segundo mostram pesquisas, a gigante automobilística Toyota, uma das grandes patrocinadoras do movimento olímpico, anunciou na segunda-feira que seus executivos não vão comparecer à cerimônia de abertura. Segundo a imprensa local, outros líderes de patrocinadores japoneses, como a Panasonic ou a gigante das telecomunicações NTT, também evitarão a cerimônia com um gesto semelhante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.