Imprensa argentina dispara ironias contra o Brasil

Jornais do país atrasam suas edições para poder estampar título olímpico do futebol na primeira página

Ariel Palacios, de O Estado de S. Paulo,

23 de agosto de 2008 | 11h22

Os torcedores argentinos acordaram neste sábado de manhã com um amplo sorriso no rosto e com um novo herói, Ángel Di Maria, protagonista do único gol argentino no jogo deste sábado contra a Nigéria. As celebrações pela conquista do bicampeonato olímpico no futebol foram modestas, já que o jogo, por causa da diferença do fuso horário, transcorreu durante a madrugada dos argentinos. A maioria da população optou por ir para a cama e conhecer o resultado neste sábado de manhã.   Veja também: Veja imagens dos medalhistas do futebol masculino em Pequim   Argentina é ouro no futebol com 1 a 0 sobre a Nigéria Argentina convoca sete campeões olímpicos para Eliminatórias  Brasil leva polêmica do uniforme ao pódio do futebol   Poucos torcedores saíram às ruas para celebrar. Um pequeno grupo de fanáticos, no meio do frio da madrugada portenha festejou ao redor do Obelisco, monumento-símbolo da capital.   Os jornais argentinos atrasaram suas edições para poder estampar o resultado na primeira página. O tradicional jornal portenho La Nación indicou que a vitória argentina em Beijing era "histórica" e que ao longo destes jogos olímpicos, o percurso da seleção havia sido "impecável". No entanto, o periódico ressaltou que a vitória sobre o time nigeriano havia sido obtida por meio de grande esforço.   O Página 12 celebrou a vitória, mas destacou que o primeiro tempo foi preocupante, já que a Nigéria dominou as ações no campo. O Clarín ressaltou que o jogo foi "pura vertigem".   IRONIAS "Dunga Dunga" foi a manchete do jornal Crítica, que optou por um jogo de palavras que fazia uma referência sexual ao técnico do Brasil ("Dunga-dunga", na gíria portenha dos últimos 20 anos, equivale a "transar").   O jornal esportivo Olé também ironizou com o Brasil: "a Argentina ganhou sua segunda medalha de ouro, para inveja dos brasileiros que estão virgens". O Olé também ressaltou que a vitória na madrugada deste sábado na capital chinesa consistia em uma "vingança" da final perdida em Atlanta em 1996, quando a seleção nigeriana foi a vencedora.   O jornal Perfil brincou com o nome do autor do único gol argentino, Ángel Di Maria: "Deus te salve Di María, cheio de graça".   A imprensa portenha também ressaltou o sufocante calor sob o qual os jogadores da seleção argentina tiveram que enfrentar a Nigéria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.