Índia prende 50 manifestantes antes de chegada da tocha

A polícia prendeu pelo menos 50tibetanos que protestavam em frente à embaixada da China emNova Délhi, nesta quarta-feira, horas antes da chegada da tochaolímpica à capital indiana, disseram testemunhas e a polícia. Milhares de policiais foram destacados para proteger otrajeto do revezamento da tocha pela cidade após ameaças deprotesto feitas por exilados tibetanos para a passagem dachama, na quinta-feira. A Índia já havia modificado o percurso da tocha alegandoquestões de segurança. Nesta quarta-feira, cerca de 100 jovens tibetanos vestindobandanas e camisetas com a inscrição "Salve o Tibet" usaramsprays de tinta para escrever frases anti-China na calçada e narua em frente ao prédio da embaixada chinesa. Os policiais rapidamente reprimiram o protesto e levaram osmanifestantes para vans, disse um fotógrafo da Reuters nolocal. "Conseguimos pegar e deter a maioria deles", disse opolicial Anup Kalia. A segurança no entorno da embaixada da China foi reforçadano mês passado, após um grupo de manifestantes tibetanos terescalado as paredes do edifício. O Dalai Lama, que vive refugiado na Índia, pediu aostibetanos que desistam de atacar o revezamento da tocha, mas osprotestos, motivados pela repressão chinesa a manifestações noTibet no mês passado, continuam. A Índia garantiu à China segurança adequada para a passagemda tocha. A imprensa indiana disse que, além da redução dopercurso da tocha para um terço do trajeto original de 9quilômetro, autoridades em Nova Délhi também estavam fechandoescritórios próximos aos locais de passagem da chama. "Fizemos um bom esquema de segurança", disse o ministro deEsportes da Índia, M.S. Gill. (Reportagem de Bappa Majumdar e Nigam Prusty)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.