Indonésia encurta caminho de tocha para evitar protestos

Comitê do evento no país acata pedido da organização chinesa, que teme por novos problemas e protestos

Agência Estado

10 de abril de 2008 | 10h09

A organização do revezamento da tocha olímpica na Indonésia anunciou nesta quinta-feira que o caminho do fogo olímpico na capital Jacarta será encurtado, a pedido da China, por questões de segurança. Os promotores temem novos protestos pró-Tibete, como os que aconteceram em Londres, Paris e San Francisco.Veja também: Tocha: polícia e manifestantes em conflito em São Francisco   Manifestantes invadem as ruas de São Francisco Entenda o conflito entre Tibete e China O trajeto completo do revezamento da tocha pelo mundo O programa inicial previa um percurso de 15 quilômetros, passando pelas principais ruas de Jacarta. A nova programação terá o revezamento apenas nas imediações do principal estádio da cidade, segundo afirmou Sumohadi Marsis, responsável pela organização do evento."O Comitê Olímpico da China, por meio da embaixada do país aqui na Indonésia, pediu que diminuíssemos a extensão do percurso, por causa dos protestos que têm acontecido em vários países. Nós concordamos", afirmou Marsis. A tocha estará na Indonésia no dia 22 de abril. 

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008tocha olímpica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.