Irlandês preso por cambismo na Olimpíada deixa penitenciária no Rio sem tornozeleira eletrônica

Decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu liminar para liberação de Kevin James Mallon

Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2016 | 11h12

O irlandês Kevin James Mallon, preso por cambismo durante os jogos Olímpicos Rio 2016, deixou na noite deste sábado, 27, o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio, de acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). A liberação ocorreu após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concedeu liminar a Mallon na sexta-feira, 26.

O irlandês só foi solto ontem porque não havia tornozeleira eletrônica disponível para seu monitoramento fora da prisão. Ele deixou a penitenciária sem o equipamento após autorização de um juiz de plantão. Foram determinadas medidas cautelares, como a apreensão de seu passaporte.

Mallon, detido em 05 de agosto, é acusado de envolvimento com uma quadrilha internacional de cambistas. O esquema envolvia o Comitê Olímpico da Irlanda e a empresa britânica THG, da qual era diretor.

Ao ser preso, o irlandês estava com ingressos falsos para competições da Olimpíada. Ele foi autuado pelos crimes de associação criminosa, marketing por emboscada e facilitação de cambismo. Durante a ação, os policiais civis apreenderam mais de 1.000 ingressos que eram comercializados por valores muito acima dos oficiais.

Mais conteúdo sobre:
RIo 2016 Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.