Andre Penner | AP
Andre Penner | AP

Isaquias entra no Estádio da Lagoa como favorito da final

Brasileiro se classifica para a decisão do C1 200 com o melhor tempo da história da categoria em Jogos Olímpicos

O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2016 | 01h19

Com o tempo mais rápido da história da categoria em Olimpíadas, o canoísta Isaquias Queiroz dos Santos classificou-se para a final da canoagem velocidade, na canoa simples, no percurso de 200 metros (C1-200). A final será disputada hoje às 9h23 no Estádio da Lagoa, zona sul. O brasileiro, que já tem uma medalha de prata nestes Jogos, é o favorito ao ouro.

Isaquias completou os 200 metros em 39,659 segundos, surpreendendo a todos os que acompanham a prova, já que nas baterias preliminares ele conseguir apenas a oitava colocação, com 40,522segundos. Em segundo na semifinal ficou o espanhol Alfonso de Ayala, com 40,38 segundos.

Após a semifinal, o canoísta procurou minimizar o feito. “O tempo não significa nada. (...) Vamos esperar a final para ver quem faz melhor”, disse.

Na avaliação de Isaquias, a performance mais lenta na bateria de classificação deve ser creditada ao erro que disse ter cometido na largada.

“Para chegar à decisão eu precisava melhorar em relação à eliminatória, quando não me sai muito bem, tive um erro (na largada). Na semifinal, eu tinha de realizar uma saída sem erro, o que acabou acontecendo”, afirmou o canoísta.

Isaquias creditou o sucesso na semifinal ao arranque a partir da metade da prova.

“Dá para ver nas minhas provas que quando os adversários começam a cansar, eu começo a subir. Por estar remando os mil metros, tenho mais resistência”, disse.

A variação climática nos ambientes de disputa das provas é o motivo de a canoagem não empregar a palavra recorde para designar o melhor tempo da história. Nas provas de ontem na Lagoa Rodrigo de Freitas, os ventos foram de intensidade e direção variáveis.

Baiano de Ubaiatuba, Isaquias, de 22 anos, já tem uma medalha de prata na Rio-2016, conquistada anteontem no tiro de 1.000 metros da canoa simples (C1-1000). O ouro foi para o alemão Sebastian Brendel, que não participa da C1-200.

No sábado, caso se classifique na eliminatória da véspera, o brasileiro terá a chance de conquistar mais uma medalha, na final da canoa dupla nos 1.000 metros (C2-1000). Seu companheiro de barco será o canoísta Erlon de Souza. Há chances concretas de medalha, conforme a avaliação dos esportistas da modalidade e especialistas.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.