Israel tenta tirar atleta da prisão para competir nos Jogos

Satain, de origem etíope, foi detido enquanto treinava e levado para a cidade de Gondar onde será julgado

EFE

24 de julho de 2008 | 15h05

O Governo de Israel tenta conseguir a libertação do atleta Haile Satain para que ele possa representar o país no Jogos Olímpicos de Pequi. Satain é de origem etíope e foi detido em seu país por razões ainda desconhecidas.   Segundo o comitê olímpico israelense, a federação de atletismo da Etiópia informou que o atleta foi retirado do local onde treinava e levado à cidade de Gondar para comparecer a um tribunal.   O atleta, que deve representar Israel nos Jogos Olímpicos de Pequim, pode ser libertado nesta sexta-feira sob pagamento de fiança, informou o jornal Ha'aretz.   O vice-ministro israelense de Assuntos Exteriores, Majali Wahhabista, falou com seu colega etíope para pedir a libertação imediata do atleta, para que ele possa retomar os treinos em Israel e chegar bem a Pequim.   Satain já tinha sido preso há seis meses, também na Etiópia, quando se preparava para uma maratona na cidade israelense de Tiberíades. Naquela ocasião, um conhecido alegou que ele devia dinheiro, e só foi libertado após a intervenção do Ministério israelense de Exteriores.   Satain é o mais velho dos 42 membros da delegação olímpica israelense que irá à capital chinesa. Seu passaporte lhe dá 53 anos, mas ele diz ter cinco anos a menos.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.