Jade Barbosa assume papel de líder na ginástica feminina

'Gosto de ajudar as meninas, me tranquiliza', afirma a atleta

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2016 | 07h01

Hors concours, Jade Barbosa não compete por medalha na etapa de São Paulo da Copa do Mundo de Ginástica Artística. Entretanto, continua tendo um papel de grande responsabilidade na equipe feminina no Ginásio do Ibirapuera. Ao lado de Daniele Hypolito, vai liderar a seleção na Olimpíada do Rio e se diz confortável com essa posição. “Gosto de ajudar as meninas, me tranquiliza na hora da competição, me sinto mais à vontade quando consigo ajudá-las. Tive muito disso quando era mais nova e sei que faz diferença”, conta.

Para ela, as jovens Rebeca Andrade e Flávia Saraiva, que não foi convocada para a disputa em São Paulo, provaram que são capazes de suportar a pressão nos Jogos do Rio. "As meninas não vão sofrer, não tem avaliação melhor do que a que passamos. Fizemos o evento-teste na pior situação possível, era a última chance que a gente tinha de estar na Olimpíada."

A classificação da equipe para os Jogos veio apenas no evento-teste, em abril. As meninas ficaram em 9.º lugar no Mundial de Glasgow, em outubro de 2015, e precisaram correr atrás da vaga este ano. Jade conta que ficou "engasgada" com o resultado na Escócia e, apesar de confiar em um desfecho positivo, chegou a duvidar de si mesma.

Passada a insegurança, a ginasta diz que o desempenho da seleção tem superado as suas expectativas. "A gente funcionou muito bem como equipe. É uma equipe muito talentosa, há muito tempo a gente não vinha com uma safra tão boa", exalta. A ginasta, que prefere não projetar medalhas, acredita que chegou a hora de obter um resultado histórico para a ginástica feminina.

O momento agora é de priorizar as necessidades individuais de cada ginasta. A concentração também será uma das preocupações durante os Jogos Olímpicos e, por isso, Jade acredita que o uso de redes sociais será limitado. "É provável que tenha algum tipo de restrição, geralmente a comissão técnica pede para a gente ficar mais focada na oportunidade única que temos. Não podemos deixar que coisas de internet acabem com a nossa preparação", diz Jade, que tem 209 mil seguidores no Instagram.

Ela tenta encarar as críticas nas redes sociais como um estímulo. "Tem gente que não sabe nem fazer estrela e fica falando mal da gente, às vezes machuca ouvir coisas que não são verdade." Após ouvir boatos de que posaria nua, ela garante: "Jade só tem olhos para Rio-2016."

 

Uma foto publicada por Jade Barbosa (@jade_barbosa) em

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.