Kim Kyung Hoon/ Reuters
Kim Kyung Hoon/ Reuters

Jamaicana Fraser-Pryce é tricampeã dos 100m rasos no Mundial

Quenianos completam pódio nos 3.000m com obstáculo

Estadão Conteúdo

24 Agosto 2015 | 11h12

Campeã olímpica, Shelly-Ann Fraser-Pryce segue sendo a mulher mais rápida do mundo. A jamaicana faturou o tricampeonato mundial - bi consecutivo - dos 100m rasos nesta segunda-feira, no Ninho do Pássaro. Assim como nas outras grandes conquistas da sua carreira, correu na casa de 10s7 para vencer, desta vez com 10s76.

Fraser-Pryce largou muito bem, abriu vantagem que parecia confortável, mas permitiu a aproximação da holandesa Dafne Schippers, que chegou perto, com a prata, em 10s81. Bateu, assim, o recorde nacional. O bronze ficou com Tori Bowie, dos EUA, com 10s86. A veterana Veronica Campbell-Brown, da Jamaica, terminou em quarto, com 10s91. A brasileira Rosângela Santos parou na semifinal.

Se nas provas de velocidade a Jamaica é soberana, nas de fundo só dá Quênia. Os africanos levaram a melhor nos 10.000m para mulheres e fizeram pódio completo nos 3.000m com obstáculos no masculino. Após três dias de finais no Ninho do Pássaro, o Quênia soma seis medalhas, mesmo número dos Estados Unidos.

Nos 3.000m com obstáculos, foram quatro quenianos disputando as três medalhas entre eles. E a de ouro ficou com o favorito, Ezekiel Kemboi, que, desde 2003, foi ao pódio em todos os Mundiais. Foram três medalhas de prata seguidas e agora quatro de ouro. Nas grandes competições desde 2002, só não foi ao pódio na Olimpíada de Pequim, também no Ninho do Pássaro, em 2008.

Na final do Mundial, Kemboi venceu com o tempo de 8min11s28. Foi seguido de Conseslus Kipruto (campeão mundial juvenil e júnior e prata em 2013) e de Brimin Kipruto (campeão olímpico em 2008 e mundial em 2007). Dois americanos vieram em quinto e sexto.

Nos 10.000m feminino, o ouro foi para Vivian Jepkemoi Cheruiyot, com o tempo de 31min41s31, em chegada emocionante com a etíope Galete Burka (31min41s77). Em terceiro, outra briga nos detalhes, entre duas norte-americanas. Melhor para Emily Infeld, que superou Molly Huddle por 0s09. Quênia, EUA e Etiópia fizeram as nove primeiras colocações.

Mais conteúdo sobre:
atletismoMundial de Atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.