REUTERS/Dominic Ebenbichler
REUTERS/Dominic Ebenbichler

Joanna Maranhão é eleita para Conselho de Ética do COB: 'Representividade ativa'

Ex-nadadora, dona do melhor resultado brasileiro em Jogos Olímpicos, recebe 43 de 50 votos possíveis e assume novo cargo

Redação, Estadão Conteúdo

12 de abril de 2022 | 18h01

A nadadora Joanna Maranhão é uma das boas novidades no comando corporativa do Comitê Olímpico do Brasil (COB) em 2022. A nadadora figura entre os cinco nomes eleitos para o Conselho de Ética da entidade, escolhidos nesta terça-feira. Outros seis nomes assumem o Conselho Fiscal.

Dona do melhor resultado de uma nadadora brasileira na história olímpica, com o quinto lugar nos 400m medley em Atenas-2004, a nadadora pernambucana tem uma história de luta e superação após ser vítima de abuso sexual. Criou a Lei Joanna Maranhão e sempre está lutando para acabar com as injustiças no esporte.

Eleita com 43 de 50 votos possíveis na Assembleia Geral do COB, a ex-nadadora espera trabalhar mais pelo esporte, como já fazia como atleta. "Feliz com a confiança depositada. Obrigada aos que votaram", agradeceu. "É preciso que mais mulheres e mais atletas ocupem e conquistem esses espaços com representatividade ativa e com conteúdo. Muito por fazer. Sigamos em frente!."

Joana Maranhão e Samy Arap Sobrinho foram eleitos como não independentes. O Conselho de Ética ainda terá Humberto Aparecido Panzetti, Ney Barros Bello Filho e Guilherme Faria da Silva, escolhidos como membros independentes. No Conselho Fiscal os eleitos foram Bianca de Azevedo, Ângelo Moniz Freire Vivacqua e Sebastião Dantas Ramos, além dos suplentes Marcus de Carvalho Mussa Gaze, Guilherme de Oliveira Campos e Marcos José de Carvalho Neto.

"A eleição transcorreu em clima de tranquilidade, participação maciça das Confederações, representantes dos atletas e membros do COI. Espero que os novos membros, alguns reconduzidos ao cargo, continuem exercendo o trabalho que estavam fazendo, atuando com independência como órgãos fiscalizadores", enfatizou o presidente do COB, Paulo Wanderley.

"A transparência é um dos pilares da nossa administração. Então, a aprovação das contas foi muito tranquila. Tudo muito claro, apenas arguições sobre detalhes técnicos, nada que atrapalhasse o brilho da prestação feita pelas diretorias administrativa e financeira e do relatório muito bem elaborado por todas as áreas. Agora é foco total em 2022, um ano bastante promissor para nós", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.