André Luiz Mello| Rio2016
André Luiz Mello| Rio2016

Sete atletas de Brasília abrirão revezamento da tocha olímpica no País

Joaquim Cruz e Lúcio são alguns dos nomes que irão conduzir o símbolo dos Jogos

Luísa Martins, Estadão Conteúdo

28 de abril de 2016 | 13h11

O trajeto que a tocha olímpica percorrerá pelo Brasil tem ponto de partida na capital do País, na próxima terça-feira. Sete atletas e ex-atletas nascidos em Brasília, de diversas modalidades esportivas, vão conduzir o símbolo dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

O percurso terá início no Palácio do Planalto e passará por cinco regiões administrativas de Brasília até voltar ao Eixo Monumental, onde haverá a cerimônia de encerramento do evento, na Esplanada dos Ministérios. Participarão do revezamento da tocha Joaquim Cruz (atletismo), Hugo Parisi (saltos ornamentais), Leila Barros (ex-jogadora de vôlei e atual secretária de Esportes do Distrito Federal), Pipoka (basquete), Lúcio (futebol), Leandro Macedo (triatlo) e Joilto Barreto (atletismo).

Entre eles, Joaquim Cruz foi medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984, enquanto Lúcio foi pentacampeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 2002, no Japão e na Coreia do Sul.

A festa vai custar R$ 3,8 milhões ao governo do Distrito Federal. "É um gasto modesto para o benefício que vai trazer para a população de Brasília. É a hora de mostrar a cidade para o mundo", disse o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. O show de encerramento, na Esplanada, contará com os cantores Diogo Nogueira e Daniela Mercury, além de outros nove artistas locais.

A previsão de chegada da tocha olímpica à Esplanada é às 20h20 de terça-feira, mas desde as 16 horas as atrações musicais ocuparão o palco que será montado na altura da Biblioteca Nacional.

Antes da chegada ao Brasil, a tradicional cerimônia oficial de acendimento da chama olímpica aconteceu no último dia 21, na histórica cidade grega de Olímpia, que foi o berço dos Jogos da Antiguidade e fica a aproximadamente 300 quilômetros de Atenas. A cerimônia, na ocasião, marcou o começo de uma viagem de 15 de semanas do sul da Grécia até o estádio do Maracanã, que será o palco da cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio, marcada para 5 de agosto - o evento se encerrará no dia 21.

Após ficar na Grécia por seis dias, a tocha foi entregue às autoridades brasileiras em Atenas na última quarta-feira e, depois de uma breve parada na Suíça, onde passará pela sede da Organização das Nações Unidas e pelo Museu Olímpico, a chama começará a sua viagem pelo Brasil na próxima terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.