Wander Roberto/COB
Wander Roberto/COB

Jogos da madrugada na Olimpíada 2020: Brasil vai mal no judô, mas reage no vôlei masculino

Confira os principais destaques da madrugada olímpica em Tóquio

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2021 | 06h49

A madrugada desta sexta-feira, dia 30, na Olimpíada de Tóquio não foi como o Brasil esperava no judô. Na categoria acima de 100kg, Rafael Silva, o Baby, buscava sua terceira medalha olímpica, mas foi derrotado na repescagem pelo decacampeão mundial e bicampeão olímpico Teddy Riner. O judoca brasileiro foi superado pelo francês com um ippon em apenas 45 segundos de luta. Nas quartas, Baby havia sido vencido pelo georgiano Guram Tushishvili ao receber três punições por falta de combatividade. 

Na categoria feminina acima de 78kg, Maria Suelen Altheman foi derrotada pela francesa Romane Dicko por ippon. A brasileira teria chance de buscar o bronze, mas acabou a luta machucada, sentindo dores no joelho, e não teve condições de disputar a repescagem. 

Confira outros destaques da madrugada olímpica

Vôlei

Em sua melhor partida até o momento em Tóquio, a seleção brasileira masculina de vôlei superou o forte time dos Estados Unidos de virada, por 3 sets a 1, com parciais de 30/32, 25/23, 25/21 e 25/20. Com o resultado, o Brasil praticamente assegura vaga nas quartas de final. O time comandado por Renan Dal Zotto está em segundo lugar no Grupo B, com oito pontos. O Comitê Olímpico da Rússia (ROC) lidera, com nove. A última partida da fase de grupos será com a França, no sábado.

Boxe

Candidata à medalha de ouro na categoria peso leve (até 60 kg), Beatriz Ferreira estreou vencendo a taiwanesa Shih-Yi Wu, por pontos, em decisão unânime dos jurados: 30 a 27 (quatro vezes) e 29 a 28 (uma). Nas quartas de final, a boxeadora enfrenta Raykhona Kodirova, do Uzbequistão. Em caso de vitória, a brasileira já vai garantir o bronze, pois no boxe não existe a disputa do terceiro lugar e os dois derrotados nas semifinais sobem também no pódio.

Keno Marley perdeu do britânico Benjamin Whittaker pelas quartas de final da categoria dos meio-pesados (até 81 kg). A decisão dos jurados foi dividida: três apontaram o pugilista da Grã-Bretanha como vencedor (todos 29 a 28) e dois foram a favor de Keno (também 29 a 28).

Atletismo

As competições de atletismo tiveram início na madrugada desta sexta-feira em Tóquio com uma comemoração e três frustrações para o Brasil. Alison dos Santos, o Piu, confirmou o favoritismo e garantiu vaga nas semifinais dos 400 metros com barreiras, no melhor resultado brasileiro do dia na modalidade, ficando atrás somente de Abderrahman Samba, do Catar, que o superou por 4 décimos. Fernando Ferreira e Thiago Moura foram eliminados no salto em altura, e Altobeli Silva não avançou nos 3.000 metros com obstáculos.

Na categoria feminina, o Brasil ficou sem representantes nos 100m rasos. Rosângela Santos ficou apenas com o 28º tempo, ao completar a prova em 11s33, enquanto Vitória Rosa nem entrou na pista, poupando-se para os 200 metros rasos. Fora das semifinais, a dupla se concentra para a disputa do revezamento 4x100, quando participarão com a equipe brasileira. Marie-Josee Lou, da Costa do Marfim, fez o melhor tempo das eliminatórias, com 10s78, seguida pelas jamaicanas Elaine Thompson-Herah (10s82) e Shelly-Ann Fraser-Pryce (10s84). 

Vela

A dupla de velejadoras brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze reagiram e subiram para o 3º lugar geral na classe 49er FX. As atuais campeãs olímpicas se destacaram com uma vitória, um 6º lugar e um 11º nas três regatas disputadas na Baía de Enoshima. Agora, elas somam 47 pontos perdidos (já contando o descarte do pior resultado), numa prova equilibrada. A liderança está com as holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz, com 41

Martine e Kunze têm mais três regatas pela frente, todas no sábado, para confirmar o lugar na chamada "medal race", que vale pontuação dobrada e vai definir os lugares no pódio. A regata decisiva está marcada para o dia 2 de agosto, segunda-feira.

Robert Scheidt disputou duas regatas pela classe Laser. O veterano de 48 anos ficou em 24º e 16º, e em sexto na classificação geral, com 86 pontos perdidos, garantindo vaga no medal race. A disputa decisiva está marcada para a tarde de domingo, pelo horário local - madrugada do mesmo dia, no Brasil. O australiano Matt Wearn lidera a Laser, com 49 pontos perdidos.

Natação

Sem brasileiros na piscina nesta madrugada, o destaque foi a nadadora sul-africana Tatjana Schoenmaker, que registrou o primeiro recorde mundial individual da natação. Nos 200m peito, a atleta de 24 anos terminou a prova em 2min18s95, superando a marca anterior, de 2min19s11, estabelecido pela dinamarquesa Rikke Moller Pedersen em 2013. Até então os dois recordes batidos na Olimpíada aconteceram em provas de revezamento feminino: 4x100m livre (Austrália) e 4x100m livre (China). A segunda colocada foi a americana Lilly King, com 2min19s92. Sua compatriota Annie Lazor levou o bronze, com 2min20s84.

Na final dos 100m livre, brilhou a australiana Emma McKeon, com 51s96. O pódio da prova tradicional teve ainda Haughey Siobhan Bernadette, de Hong Kong, com 52s27, e a australiana Cate Campbell, com 52s52.

No masculino, o chinês Wang Shun levou o ouro nos 200m medley, com 1min55s00. O britânico Duncan Scott ficou com a prata, com 1min55s28, e o suíço Jeremy Desplanches faturou o bronze, com 1min56s17. Nos 200m costas, o destaque foi o russo Evgeny Rylov, novo campeão olímpico da prova, com 1min53s27.  A medalha de prata foi para o americano Ryan Murphy, que anotou 1min54s15 e não conseguiu defender o título olímpico conquistado no Rio-2016. O britânico Luke Greenbank completou o pódio, com 1min54s72.

Canoagem slalom

Um dia após Ana Sátila ficar na última colocação no feminino da canoagem slalom, o brasileiro Pedro Gonçalves, o Pepê, não teve a mesma sorte de ir para a decisão da modalidade. O canoísta fez o segundo pior tempo da semifinal e ficou fora da lista com os dez finalistas na categoria K-1 (caiaque). O atleta levou três penalidades em sua descida e completou o percurso em 104s33, se despedindo na 19ª colocação. 

Ciclismo BMX

Renato Rezende está fora das finais do ciclismo BMX. O brasileiro ficou na sétima colocação da sua bateria na semifinal, longe dos três primeiros lugares, que garantem vaga na decisão. Com a eliminação do ciclista, as chances de medalha para o Brasil na modalidade foram encerradas, uma vez que Patrícia Carnaval também se despediu ao não se classificar para a semi na categoria feminina nesta terça-feira.  

Handebol

seleção brasileira masculina de handebol segue viva na Olimpíada de Tóquio. Depois de perder os três primeiros compromissos, o time desencantou ao eliminar a rival Argentina, por  25 a 23, no Yoyogi National Gtmnasium, e depende apenas de uma vitória sobre a Alemanha, no sábado, para se garantir nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.