Jonne Roriz/COB
Jonne Roriz/COB

Jogos da madrugada na Olimpíada 2020: Italo Ferreira conquista ouro histórico; Scheffer é bronze

Confira os principais destaques da madrugada olímpica em Tóquio

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2021 | 06h40

Histórica! Assim pode ser definida a madrugada desta terça-feira para o Brasil na Olimpíada de Tóquio. Italo Ferreira brilhou no mar de Tsurigasaki, conquistando a primeira medalha de ouro para o Brasil e se sagrando o primeiro campeão olímpico do surfe. Outro favorito ao pódio, Gabriel Medina não confirmou as expectativas de pódio e encerrou sua participação na 4ª posição, sendo superado pelo australiano Owen Wright, que levou o bronze. O pódio foi completado pelo japonês Kanoa Igarashi, com a prata. 

Pelo feminino, Silvana Lima não teve a mesma felicidade e caiu nas quartas, ficando fora da briga pelo pódio. Ela foi superada pela tetracampeã mundial Carissa Moore, dos EUA, que levou o ouro. A prata ficou com a sul-africana Bianca Buitendag, enquanto a terceira colocação foi da japonesa Amuro Tsuzuki

O outro destaque da noite ficou por conta do nadador Fernando Scheffer. O gaúcho não estava entre os favoritos, mas cresceu nos metros finais e conquistou o terceiro lugar, com o tempo de 1min44s66, melhor tempo de sua carreira. O brasileiro ficou atrás da dobradinha britânica formada por Tom Dean e Duncan Scott. Também na natação, Leonardo de Deus manteve o embalo do compatriota e brilhou nas semifinais dos 200 metros borboleta: avançou à final da prova com o segundo melhor tempo. O nadador do Mato Grosso do Sul, da Unisanta, completou a distância em 1min54s97. Só ficou atrás do húngaro Kristof Milak tanto na sua bateria quanto no resultado geral das semifinais. 

Confira os destaques da madrugada olímpica

Tênis

Uma das principais estrelas da Olimpíada de Tóquio, a japonesa Naomi Osaka se despede de forma precoce da competição. Na madrugada desta terça-feira, pelo horário de Brasília, a tenista da casa foi superada pela checa Marketa Vondrousova por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4, em 1h08min de confronto no Ariake Tennis Park.

Judô

Judoca mais experiente da delegação brasileira, Ketleyn Quadros não conseguiu repetir na repescagem seu bom desempenho nas primeiras lutas, na categoria até 63 kg, e ficou sem medalha. A atleta de 33 anos foi superada pela holandesa Juul Franssen. Ela precisava vencer a rival da Holanda e mais uma adversária para ficar com a medalha de bronze. 

Eduardo Yudy foi superado logo em sua primeira luta. O brasileiro foi batido pelo israelense Sagi Muki por um ippon obtido em menos de um minuto de confronto, válido pela categoria até 81 kg. Muki foi campeão mundial em 2019 e é o cabeça-de-chave número 2 em Tóquio. Com a derrota, Yudy não tem chances de medalha.

Handebol

Após estrear empatando com as russas, a seleção feminina de handebol encarou a Hungria e saiu de quadra comemorando a primeira vitória na competição no Japão. Com uma atuação sólida, as brasileiras venceram por 33 a 27, em mais um duelo no Yoyogi National Stadium. O resultado deixa o Brasil com três pontos na disputa do Grupo B, formado por ROC (Comitê Olímpico da Rússia), Espanha, França, Hungria e Suécia. Já o Grupo A tem Holanda, Montenegro, Coreia do Sul e Angola. Ao final da primeira fase, os quatro melhores colocados de cada chave avançam às quartas de final.

Mountain Bike

A sétima participação de Jaqueline Mourão em Olimpíadas terminou nesta terça-feira com o 35º lugar na prova de cross country olímpico. A atleta brasileira terminou duas voltas atrás das líderes. O pódio foi para a Suíça. A medalha de ouro ficou com Jolanda Neff, vencedora da prova, seguida pela compatriota Sina Freim que completou a prova com 1min11 de desvantagem para conquistar a prata. Linda Indergand terminou na terceira posição e obteve a medalha de bronze. 

Slalom

A brasileira Ana Sátila ficou fora da final do K-1 (caiaque) na canoagem slalom. A atleta de 25 anos ficou no 13º lugar na semifinal, com 114,62. Apenas as dez primeiras colocadas, entre as 24 competidoras da semi, avançam à final. Apesar da eliminação no Kasai Canoe Slalom Centre, Ana Sátila registrou o melhor resultado de uma brasileira na modalidade em uma Olimpíada. Foi a primeira vez que ela alcançou a semifinal.

Vôlei de praia

Evandro e Bruno Schmidt passaram com muita tranquilidade sobre os marroquinos Mohammed Abicha e Zouheir Elgraoui. Os brasileiros precisaram de apenas 39 minutos para despacharem os rivais do Marrocos por 2 sets a 0 - parciais de 21/14 e 21/16. Com o resultado, se mantiveram o 100% de aproveitamento em Tóquio e encaminharam a vaga às oitavas de final. 

Por sua vez, Alison e Álvaro Filho fizeram um duro duelo com os americanos Lucena e Phil Dalhausser e foram superados por 2 sets a 1, com parciais de 22/24, 19/21 e 13/15, em 1h06min. A derrota não acaba com as chances de classificação dos brasileiros, que haviam vencido na estreia. Lucena e Dalhausser haviam perdido na primeira rodada. Assim, o Grupo D, considerado como "grupo da morte" segue embolado, com chances para as quatro duplas da chave.

Vela

Na classe 49er FX, as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze ocupam a terceira posição após as três primeiras regatas realizadas nesta terça-feira. Elas estão atrás da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos. A dupla brasileira ficou em 15º na primeira regata, mas se recuperou nas duas seguintes, ao terminar em 5º na segunda e vencer a terceira e última regata do dia.

Robert Scheidt ficou em terceiro lugar, nesta terça-feira, na quarta regata da categoria lase. Com este resultado, o bicampeão olímpico ocupa a terceira posição na classificação geral da prova. 

Tênis de mesa

O brasileiro Gustavo Tsuboi encerrou sua participação história em Tóquio na madrugada desta terça-feira. O mesa-tenista protagonizou uma reação incrível depois de perder os três primeiros sets, mas não foi páreo para o jovem Lin Yun-Ju, de 19 anos. No Ginásio Metropolitano de Tóquio, o atleta de Taipé Chinês venceu o duelo por 4 sets a 2, com parciais de 11/5, 11/7, 11/2, 9/11, 9/11 e 13/11.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.