Noel Celis / AFP
Noel Celis / AFP

Jogos de Inverno de Pequim revelam guias de conduta com testes diários e restrições de circulação

Preparados pelo Comitê Organizador, os 'playbooks' para os competidores foram divulgados nesta segunda-feira. Torneio começa a partir do dia 4 de fevereiro

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2021 | 09h47

Vacinação, rastreamento rigoroso de casos suspeitos de covid-19 e uma minimização da interação física — proibido de apertar as mãos ou abraçar — serão as condições sob o qual os atletas competirão nos Jogos de Inverno de Pequim-2022, na China, terão início no próximo dia 4 de fevereiro. A primeira versão dos guias de conduta, os chamados "playbooks", preparados pelo Comitê Organizador e pelos Comitês Olímpico (COI) e Paralímpico (IPC, na sigla em inglês), foram publicados nesta segunda-feira.

Ele oferece orientações semelhantes às que foram impostas em julho e agosto passados nos Jogos de Tóquio-2020, embora qualquer quarentena será suprimida se o esquema de vacinação estiver completo. Em troca, a "bolha" ficará praticamente hermética.

Dentre os destaques estão a realização de testes diários de covid-19 e a limitação de circulação entre as arenas de competição. A China está com fronteiras fechadas a estrangeiros, mas abrirá o espaço aéreo para a chegada dos atletas e demais envolvidos na realização do evento. Não será permitida a entrada de torcedores residentes no exterior no país.

Com relação à vacinação serão admitidas exceções para atletas e funcionários de suas equipes, estudados caso a caso e com base em razões médicas. "Quanto ao resto, não ser vacinado 14 dias antes exigirá uma quarentena de 21 dias na chegada à China", informa um dos guias.

"Queremos que todos nos Jogos estejam seguros e é por isso que estamos pedindo a todos os participantes para seguirem estar orientações. Manter todos saudáveis vai assegurar que o foco se mantenha nas bases fundamentais dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos: os atletas e o esporte", disse Christophe Dubi, diretor executivo dos Jogos Olímpicos do (COI).

A rotina dos atletas incluirá algumas das limitações já vistas ao longo dos Jogos de Tóquio-2020: todos deverão usar máscaras de proteção, evitar espaços fechados ou com aglomerações e contatos próximos com outros participantes. Todas as delegações terão responsáveis por monitorar possíveis focos de covid-19 e encaminhá-los para as autoridades de saúde.

Os organizadores publicaram dois guias, um para os atletas e suas equipes e outro para o restante dos participantes, incluindo líderes, jornalistas e trabalhadores, que nos Jogos de Tóquio-2020 foram considerados a principal fonte de contágio na entrada e saída das instalações olímpicas para fornecer bens e serviços.

"Após extensas discussões e consultas, o COI, o IPC e Pequim-2022 desenvolveram em conjunto as primeiras edições do 'Beijing Gambling Guides 2022', demonstrando o consenso de todos as partes envolvidas", afirmou Han Zirong, vice-presidente e Secretário-Geral de Pequim-2022.

"Em sua preparação, nossa maior prioridade foi salvaguardar a segurança e saúde de todos os participantes, bem como o povo chinês, com base nas experiências de outros encontros esportes e na política covid-19 atualmente em vigor na China", acrescentou. Uma atualização desses guias será publicada antes do final de ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.