AFA
AFA

Jovens jogadores de futebol da Argentina querem repetir ouro de Messi e Tevez em Tóquio-2020

Seleção olímpica argentina conquistou medalhas de ouro em Atenas-2004 e Pequim-2008

AFP, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2021 | 06h53

Os jovens jogadores argentinos sonham em repetir em Tóquio-2020 a façanha dos grandes ídolos do futebol albiceleste em conquistar uma terceira medalha de ouro na disputa. Isso deixaria o país sul-americano no topo da lista ao lado da Hungria. Tevez e Messi foram dois desses astros que festejaram a conquista no futebol olímpico. Messi ganhou em Pequim-2008, por exemplo, depois de passar pela seleção do Brasil em fases anteriores. 

O time de Fernando Batista, irmão de Sergio, campeão mundial em 1986 ao lado de Diego Maradona, chega como campeão do Pré-Olímpico da Colômbia e com um elenco jovem muito bem trabalhado, mas sem grandes reforços de jogadores mais experientes: apenas o goleiro Cádiz Jeremías Ledesma está no elenco, já que o atacante do Bayer Leverkusen Lucas Alario foi descartado devido a uma lesão muscular nos últimos dias. 

O atacante Julián Álvarez, grande promessa do futebol argentino que jogou sob o comando de Lionel Scaloni na Copa América-2021, vencida diante do Brasil, também ficou fora da lista, já que seu clube, o River Plate, se recusou a abrir mão dele por causa da Libertadores. Para esquecê-los, Batista tem outras caras, como Ezequiel Barco, Nehuén Pérez e o 'tanque' Adolfo Gaich, um pilar na frente.

SONHO DOURADO

A programação lhe dá a oportunidade de evoluir dentro do Grupo C, no qual vai estrear contra a Austrália (dia 22 de junho), depois enfrentar o Egito (25 de junho) e fechar a primeira fase contra outro candidato ao título, a Espanha (28 de junho). 

Os espanhóis se classificaram para os Jogos de Tóquio-2020 como campeões da Europa Sub-21 e chegam ao Japão com um elenco de seis jogadores que disputaram a recente Euro-2020 e três grandes reforços de luxo, começando pelo meia do Real Madrid, Marco Asensio. 

A seleção argentina, que também foi medalhista de prata em Atlanta-1996, disputará o torneio pela oitava vez com o status de lutar novamente pelo título, após um desempenho fraco na Rio-2016 (11ª, eliminada na primeira etapa) e sua surpreendente ausência em Londres-2012. 

"O sonho é a medalha de ouro", disse 'El Bocha' Batista no site da Fifa. "Vou dar o meu melhor para montar a melhor equipe, o melhor grupo, e tentar conquistar a medalha de ouro. O primeiro objetivo é chegar mais perto das medalhas, e quando você está aí, quer a de ouro", acrescentou Batista, irmão de Checho, campeão olímpico em Pequim-2008 como técnico de uma delegação que incluía, além do experiente Juan Román Riquelme, Lionel Messi, Sergio Agüero e Ángel Di María, entre outras estrelas que surgiam na época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.