Divulgação/Olimpíadas
Divulgação/Olimpíadas

Judoca é atropelado por veículo autônomo e desiste de competir na Paralímpiada de Tóquio

Aramitsu Kitazono, atleta da categoria até 81kg para deficientes visuais, atravessava uma faixa de pedestre quando foi atingido por um micro-ônibus que transporta passageiros pela Vila Olímpica

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2021 | 17h07

Aramitsu Kitazono, judoca japonês na Paralimpíada de Tóquio-2020, sofreu um acidente nesta quinta feira. O atleta estava na Vila Olímpica, atravessando uma faixa de pedestre em direção ao refeitório, quando foi atropelado por um micro-ônibus autônomo, que fazia uma curva à direita. 

Kitazono teve lesões na cabeça e na perna, segundo o jornal Asahi Shimbun. Ele, que está em tratamento no centro médico dos Jogos, precisa de duas semanas para se recuperar e, por isso, decidiu junto com seu técnico que não vai competir no evento. A estreia do japonês na categoria até 81kg do judô para deficientes visuais estava programada para este sábado, contra o ucraniano Dmytro Solovey. 

O veículo autônomo, produzido pela marca japonesa Toyota e chamado de ‘e-Palette’, transportava cinco passageiros e era operado por dois funcionários. Ninguém se machucou no acidente. Vale destacar que transportes desse tipo dispõem de quatro níveis de autonomia. O nível zero indica que o condutor controla completamente o veículo. O quatro dá total liberdade à máquina, que executa todas as funções críticas para a segurança do condutor e dos passageiros. 

Segundo a polícia local, o micro-ônibus, elétrico e de baixo ruído, havia parado pouco antes do acidente quando o sensor detectou um segurança que estava perto da faixa. Com a ajuda de um dos operadores do veículo, ele voltou a se mover e, alguns metros à frente, atingiu o judoca de 30 anos, que estava em sua terceira edição de Paralímpiada. 

Em comunicado, a Toyota e os organizadores dos Jogos Paralímpicos informaram que “o serviço de ônibus traslado foi temporariamente suspenso e que as operações serão retomadas assim que for considerado seguro fazê-lo. 

“Pedimos desculpas profundamente por aqueles que sofreram ferimentos. Estamos cooperando totalmente com a polícia no caso ”, acrescentou a montadora japonesa. Com mais de 4.400 atletas, a Paralímpiada de Tóquio-2020 começou na última terça. O Brasil já foi ao pódio 17 vezes. Até agora, são seis ouros, quatro pratas e sete bronzes para a delegação do País no Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.