Justiça húngara volta a rejeitar referendo sobre candidatura para Jogos de 2024

Nova iniciativa do jornalista Katalin Erdelyi foi barrada pela Suprema Corte

Estadão Conteúdo

14 de dezembro de 2016 | 17h02

A Suprema Corte da Hungria voltou a rejeitar nesta quarta-feira um pedido por um referendo no país para discutir a candidatura de Budapeste para sediar os Jogos Olímpicos de 2024. Com a decisão, a capital húngara segue como candidata a receber a Olimpíada, na briga com Los Angeles e Paris.

A "Kuria", como é chamada a Suprema Corte húngara, manteve decisão de instância inferior que já havia rejeitado o referendo. Entre as objeções apresentadas pela Kuria está a pergunta apresentada para o eventual referendo. Para o tribunal, a questão não é clara o suficiente e pode confundir os eleitores.

O novo pedido pelo referendo foi pedido pela jornalista Katalin Erdelyi, que já tentou suspender a candidatura húngara tanto em nível municipal quanto na esfera nacional. Porém, todas as ações já foram rejeitadas, por diferentes motivos.

Em dezembro do ano passado, o legislativo municipal de Budapeste rejeitou o referendo em uma disputa apertada, com 16 votos contra e 14 a favor, apenas três dias depois de Hamburgo ter desistido oficialmente de sua candidatura à Olimpíada de 2024, justamente depois em um referendo promovido com a população da cidade alemã.

No fim de novembro, um referendo que contou com 650 mil votos e foi realizado entre os habitantes de Hamburgo e Kiel, cidade onde seriam realizadas provas de vela da antes possível Olimpíada de 2024 em solo alemão, apontou que 51,6% reprovavam a candidatura aos Jogos Olímpicos.

Na Hungria, a candidatura de Budapeste conta com o apoio do Comitê Olímpico Húngaro e do primeiro-ministro Viktor Orban. O Comitê Olímpico Internacional (COI) vai eleger a futura sede dos Jogos de 2024 em setembro do próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.