Laboratório no Rio garante segurança em exames antidoping dos Jogos Olímpicos

Laboratório divulgou que cada exame analisado tem um código que impede a identificação do atleta por qualquer pessoa envolvida no processo

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2016 | 18h20

O Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), localizado no Polo de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), informou que tem procedimentos que garantem a segurança do laboratório para realizar os exames antidoping dos Jogos Olímpicos do Rio, tanto da estrutura quanto da segurança da informação. A estratégia do LBCD inclui a Força Nacional de Segurança, que atua desde o início deste mês na vigilância das dependências.

"Esse reforço é somado ao corpo de profissionais de segurança que já atua na UFRJ. Dentro do prédio, cada acesso é controlado por senha ou, dependendo da área, por uma checagem simultânea de impressão digital e senha pessoal. O acesso ao prédio também é completamente monitorado", disse, por nota, a instituição.

Em relação à segurança das amostras, o laboratório divulgou que cada exame analisado tem um código que impede a identificação do atleta por qualquer pessoa envolvida no processo.

"As amostras de cada atleta são divididas em frascos A e B. O primeiro é analisado. O segundo é armazenado para garantir uma nova análise, em caso de resultado analítico adverso. No caso de resultado analítico adverso, a nova análise é feita na presença do atleta ou de seu representante. A presença de profissionais de diversos laboratórios de controle de dopagem do mundo, durante os Jogos, também garante um controle rígido. Além disso, o laboratório está acreditado pela Wada, tendo correspondido a todas as exigências internacionais", informou o laboratório.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.