Lohaynny e Ygor festejam vaga olímpica no badminton sem necessidade de convite

A período de classificação para os Jogos Olímpicos do Rio no badminton só se encerra oficialmente daqui a uma semana, mas dois brasileiros já comemoram a participação na Olimpíada, em agosto. Lohaynny Vicente e Ygor Coelho concederam entrevista coletiva em Campinas (SP) e já falaram da conquista da vaga. O último torneio valido para o ranking olímpico disputado por brasileiros foi o Campeonato Pan-Americano por Equipes, encerrado na quarta, também em Campinas.

Estadão Conteúdo

28 de abril de 2016 | 16h38

"Ser o primeiro brasileiro a disputar os Jogos Olímpicos no badminton é fantástico. Tudo o que eu abri mão durante quatro anos valeu a pena. Morei sozinho, deixei minha família, amigos em busca de um sonho. Estou orgulhoso e mais ainda por ter conseguido a vaga pelo ranking, sem precisar do convite pelo fato de o Brasil ser o país-sede", comemorou Ygor, de apenas 19 anos.

No badminton, o ranking mundial é atualizado toda quinta-feira, com os resultados dos torneios realizados no fim de semana anterior. Ygor aparece na 62.ª posição da lista. Como cada país só pode ter um atleta na chave de simples (dois se ambos estiverem no Top 16 do ranking), com descartes o brasileiro é 29.º na briga por 36 vagas no Rio-2016.

No feminino, Lohaynny Vicente é 67.ª do ranking mundial e aparece com a 35.ª e penúltima vaga no Rio-2016. Ela soma 22.993 pontos, contra 22.599 de Fabiana Silva, que foi sua concorrente direta durante todo o ciclo olímpico. A vaga só foi definida em um torneio no Taiti, no fim de semana passado, quando ambas perderam na estreia. Tivesse vencido seu jogo, Fabiana seria a representante do Brasil no Rio.

"Eu não esperava me classificar. A confirmação da vaga veio no último minuto. Ser a primeira atleta do Brasil a participar dos Jogos Olímpicos no badminton é uma emoção muito grande. Agora vem a expectativa do começo dos Jogos Olímpicos e a realização do sonho de todo atleta", disse Lohaynny na coletiva desta quinta-feira.

Se até 2014 o Brasil nunca havia sequer enviado um atleta para o Campeonato Mundial de Badminton, agora comemora a classificação de dois jogadores para a Olimpíada. "O Brasil vai jogar a competição não porque é sede, mas porque tem competência e foi melhor do que outros. Jogaríamos os Jogos Olímpicos mesmo que fosse em outro país. É uma meta que tínhamos e cumprimos", declarou o superintendente da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd), José Roberto Santini Campos.

De acordo com o técnico Marco Vasconcelos, português que comanda a seleção brasileira, a meta no Rio-2016 será ganhar uma partida. "Teremos uma boa preparação, com treinamentos na Dinamarca, Portugal e em Campinas com atletas de alto nível, também classificados para os Jogos Olímpicos. Nosso objetivo é ganhar uma partida, o que nos colocaria entre os 20 melhores dos Jogos Olímpicos, o que seria excelente para o Brasil."

Nesta quinta-feira também começou o Campeonato Pan-Americano, em Campinas. Lohaynny, que chegou na quarta para a final do Pan por Equipes, deu W.O. na estreia contra Brittney Tam, mesma rival que a venceu na véspera, garantindo ao Canadá o título por equipes. Ygor jogou só um set contra o brasileiro Artur Silva Pomoceno e abandonou. O torneio não vale para o ranking mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.